Conhecimento como porta de entrada para um mundo melhor

Trabalho do ICC (Instituto Crescer Cidadão) é mostrar outras realidades a meninos em situação de vulnerabilidade social

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Gabriela Virdes

Vice-presidente do ICC Mônica Rímoli explica que a instituição acolhe a procura espontânea de crianças em situação de vulnerabilidade social (foto: Matheus Urenha / A Cidade)
 
Esta reportagem tem a garantia de apuração ACidade ON.  
Diga não às fake news!

Formar jovens como cidadãos de bem. Esse é o objetivo do Instituto Crescer Cidadão (ICC), que atende a crianças e adolescentes - de 6 a 14 anos -, que vivem em situação de vulnerabilidade social, moradores dos bairros Salgado Filho I e II, Quintino Facci I e entorno do aeroporto de Ribeirão Preto.  

Segundo a vice-presidente Mônica Pileggi Rímoli, a instituição nasceu da ONG Projeto Criança Feliz, uma parceria entre um empresário e um grupo de pessoas que buscava atuar em prol das crianças que não possuíam tantas oportunidades.  

"Hoje, nosso objetivo, como um serviço de convivência e fortalecimento de vínculo, é dar oportunidade para que estas crianças tenham um conhecimento diferente do que é a vida deles na comunidade em que estão inseridos", explica.  

Tudo para que, de acordo com ela, as crianças sejam os modificadores desta comunidade. "Acreditamos que, sem esse conhecimento, eles só reproduzem aquilo que já vivem", diz. "Então, a proposta é tirá-los das ruas, trazê-los para o convívio do ICC e oferecer atividades diferenciadas, que irão promover o autoconhecimento", completa.

Atividades  

Fundado em 2005, o ICC atende atualmente a 53 crianças, divididas em dois períodos: manhã e tarde. "Pela manhã, recebemos os menores, de 6 a 10 anos; e à tarde, os de de 11 a 14 anos", comenta Mônica.  

Durante a semana, no contraturno escolar, as crianças participam de atividades socioculturais, lúdico-pedagógicas, de cidadania, meio ambiente, saúde, projetos artísticos, além de aulas de informática, judô, dança e atividades corporais. Além de aulas de canto coral, em parceria firmada com Projeto Guri.  

"Somado às atividades, desenvolvemos a questão do acolhimento, de como estão sendo tratados, para ajuda-los na construção do ser", frisa. "Mas, é importante lembrar que as escolhas são feitas por cada um. No ICC a gente dá as ferramentas e as crianças vão usá-las conforme suas necessidades", finaliza a vice-presidente. 

Meta  

O Instituto Crescer Cidadão acredita que o crescimento individual gera um ganho coletivo. Por isso, incentiva a construção de diversos saberes estimulando o desenvolvimento pleno das habilidades e potenciais de cidadania em cada pessoa.   

Trabalhos desenvolvidos pelos alunos do ICC (foto: Matheus Urenha / A Cidade)

Trabalho é com crianças, mas o impacto é na família  

A vice-presidente do ICC Mônica Rímoli explica que a instituição acolhe a procura espontânea de crianças em situação de vulnerabilidade social.  
"Neste contexto, estar um período aqui e um período na escola é menos tempo sozinha em casa", frisa.  

E como a atividade se dá no contraturno escolar, abre a possibilidade de as mães trabalharem. Ao ter onde deixar os filhos, a mãe consegue ajudar a compor a renda familiar. "Desta forma, o ICC não muda apenas a realidade da criança, mas favorece toda sua família", reforça.  

Além de toda estrutura e desenvolvimento através das atividades, as crianças recebem muito amor e carinho. "Só assim para mudar a realidade difícil que elas crianças vivem. Precisa estar disponível para o afeto, senão não forma o vínculo com estas crianças, que é importantíssimo", garante.  

Para a Mônica, trabalhar no ICC é mais do que um orgulho: é uma opção de vida. "Sou engenheira civil de formação. Vim para fazer reforço escolar com os mais velhos, mas me envolvi de tal forma com o projeto que estou em tempo integral aqui, em contato direto com as crianças, desde sua fundação", conclui.  

Trabalhos desenvolvidos pelos alunos do ICC (foto: Matheus Urenha / A Cidade)

Uma casa feliz  

As crianças que frequentam o ICC se sentem em casa. O pequeno Mateus Leandro de Oliveira Silva, 9 anos, vai todas as manhãs ao instituto desde os 6 anos. "Gosto muito daqui, pois todos me tratam muito bem", diz.  

"De todas as atividades, a que mais gosto é desenhar", completa. Já Yasmin Aparecido Caetano Quirino, 9 anos, começou a frequentar a instituição no ano passado. Apesar do pouco tempo, está adorando. "Gosto de tudo aqui: de ler, brincadeira livre, balé, judô, desenhar. Nem sei dizer o que mais gosto, porque acho uma delícia estar aqui", afirma. "Em casa, não fazia nada. É muito melhor estar no ICC, pois aprendo mais", reforça.  

Além das atividades lúdicas, as crianças destacam os aprendizados que levam para casa, todos os dias. "Aprendi que devo obedecer, respeitar e ser boa com as outras pessoas para ter um mundo melhor", lista a pequena Emily Vitória Farias, 7 anos. 

Como ajudar?  

Para se manter, o Instituto Crescer Cidadão sobrevive de doações. Então, quem quiser ajudar, pode adotar um projeto, fazer uma doação única através da conta bancária da entidade ou colaborar mensalmente. Para saber como, basta ligar para o telefone do ICC: (16) 3996-8653. "É esta ajuda que mantém a instituição e faz com que estas 53 crianças tenham um futuro diferente da realidade que vivem", encerra Mônica.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.