Aguarde...

colunistas e blogs

Hilário Bocchi

Novo cálculo pode ajudar quem demorar mais para se aposentar

Foi aprovada outra regra que deixa o segurado ainda mais apreensivo quanto ao melhor momento para se aposentar

| ACidadeON/Ribeirao

O contribuinte da previdência já está sentindo na pele os danos causados pela reforma aprovada na semana passada (12).  


Menos de uma semana depois, neste dia 19, foi aprovada outra regra que deixa o segurado ainda mais apreensivo. Afinal, qual é o melhor momento para se aposentar?  

Direito adquirido 

As regras que estavam valendo antes do dia 12/11, que foram alteradas na semana passada, pode ser a melhor opção do segurado. Lutar para comprovar que o direito foi adquirido antes da Emenda Constitucional n. 103/2019 pode garantir um futuro melhor. Então é hora de resgatar o tempo de serviço e as contribuições do passado para ter mais direitos.

A média das contribuições mudou de novo
A nova regra de cálculo aprovada pela Reforma da Previdência prevê que o trabalhador não poderá excluir 20% das menores contribuições do período de cálculo que servirá para definir o valor dos benefícios. Assim, o valor das aposentadorias seria calculado com base em todas (100%) as contribuições, inclusive as menores e, claro, o valor da renda mensal diminui.

Luz no fim do túnel
No dia 19, o Senado Federal concluiu a votação em dois turnos da PEC Paralela e a novidade está aí: a regra deve mudar de novo. O trabalhador poderá excluir 20% das menores contribuições desde que se aposente até 31/12/2021; 10% das menores contribuições se aposentar entre 2022 e 2024, e somente em 2025 é que o cálculo seria feito com base em todas as contribuições. Acontece que esta regra está no Projeto de Emenda Constitucional n. 133 que ainda tem que passar pela Câmara dos Deputados. Não está valendo, apesar de ter sido aprovada no Senado.

Quem se aposentar agora vai perder
O segurado que que aposentar durante a vigência da EC n. 103, a Nova Previdência, terá o cálculo do valor do benefício feito com base em todas as contribuições (100%) e quem esperar a aprovação da PEC Paralela, caso seja aprovada, poderá utilizar 80% - de novo - das maiores contribuições. Se não for aprovada com efeito retroativo, e não consta nada sobre isso no Projeto, quem se aposentar entre hoje e a aprovação da PEC Paralela poderá ter prejuízo para o resto da vida.

Mais do ACidade ON