Aguarde...

Trabalhador pode pagar menos e ainda não perder direitos

Existem alguns direitos mínimos do INSS que são devidos para os segurados independentemente do valor que contribuem

| ACidadeON/Ribeirao

Pagando 20%, 11% ou 5% do salário mínimo alguns segurados obrigatórios ou facultativos terão os mesmos direitos. Escolher a forma correta de pagar pode ser o diferencial para receber a mesma aposentadoria pagando ¼ (um quarto) da contribuição máxima.

Diferença entre segurados
Na Previdência Social existem dois tipos de contribuintes: o segurado obrigatório e o facultativo.
Segurados obrigatórios: aqueles que são obrigados a pagar por que têm alguma renda decorrente de trabalho remunerado.
Segurados facultativos: aqueles que não exercem atividade remunerada, mas querem participar dos planos de previdência, como por exemplo os desempregados e estudantes.

Caminho para pagar menos
Independente da forma como se filiam à Previdência Social alguns contribuintes poderão ter os mesmos direitos, pagando bem menos. O primeiro passo é saber se o benefício será de um salário mínimo ou valor próximo deste. Caso o benefício a receber seja maior, vale a pena investigar um pouco mais para saber ser valerá a pena reduzir as contribuições. O segundo passo é saber se a aposentadoria por idade acontecerá antes das outras espécies de aposentadorias por que a contribuição reduzida só garante aposentadoria por idade. Faça o cálculo grátis no site www.tempodeservico.com.br

Economia
A contribuição mínima de quem está pagando o INSS como desempregado ou contribuinte individual (autônomo) é de 11% do salário mínimo (R$ 109,78). O desempregado, como o autônomo, pode exercer atividades eventuais (bicos) que se forem devidamente formalizadas podem enquadrá-lo como Microempreendedor Individual (MEI). O faturamento anual não pode ser superior a R$ 81.000,00 (R$ 6.750,00 mensais), dentre outras exigências. Neste caso a contribuição seria de R$ 50,90 (ramo de comércio e indústria - ICMS); R$ 54,90 (ramo de serviços - ISS) e R$ 55,90 (ramo de comércio e serviços ICMS e ISS). A economia com a migração de desempregado ou contribuinte individual para MEI pode chegar a mais de 53%, ou seja, a contribuição seria menos da metade.

Ajuda profissional
A redução indevida da contribuição pode comprometer o planejamento previdenciário. Caso o segurado não esteja seguro desta decisão, sugiro que consulte um especialista em previdência.

Caso tenha dúvida ou sugestão, fale comigo. Clique aqui!



Mais do ACidade ON