Aguarde...

ACidadeON

Voltar

colunistas e blogs

Vicente Golfeto

Quando um país vai mal, o cinema normalmente vai bem

Confira a análise no texto do professor Vicente Golfeto

| ACidadeON/Ribeirao

Vicente Golfeto, colunista do ACidade ON (Foto: Mastrangelo Reino / Arquivo A Cidade)
    Antífona é um versículo que se diz ou se entoa antes de um Salmo ou de um cântico religioso e depois se canta inteiro ou se repete alternadamente em coro. Não temos a pretensão de falar em antífona, algo que é uma ponte que leva o pecador ao perdão e à misericórdia de Deus. Vamos falar em dois epigramas. Um, de Pablo Picasso, um gênio que diz que "a arte é uma mentira que nos faz compreender a verdade, pelo menos a verdade que nós podemos compreender". E outro é, nada mais e nada menos, do que William Shakespeare, em Hamlet, quando pergunta "o que faria o homem, se ele não risse?". A partir daí, dentre as artes mais conhecidas a pintura, a escultura, a arquitetura, a literatura e a fotografia, dentre outras vamos focalizar, abaixo, talvez a que seja, em certos aspectos, a mais adaptada à realidade do cotidiano. Paul Klee acreditava que "a arte não reproduz o visível. Ela torna visível aquilo que é invisível". E isso ele diz mais ou menos na sequência do que pensou o gênio inquieto de Leonardo da Vinci quando esclarece que "a arte diz o indizível, exprime o inexprimível e traduz o intraduzível".  

    Claro que ele aprofunda o pensamento e a partir daí tendo escolhido o cinema, precisamos identificar a fotografia como uma das artes que compõem normalmente as obras cinematográficas. Photon + graphus palavras do idioma grego significam escrever com a luz. Fotografar, em nossa opinião, é criar com a força transfiguradora do olhar. É também retratar o que o olhar permite ver, isto é, aquilo que o olhar alcança. No mais, o que a arte especificamente o cinema pretende, é procurar sempre tornar organizado aquilo que é caótico.
Tenho certeza de que através do paralelo que se faça entre o cinema e o país quando o país vai mal, o cinema vai bem. E mais: a importância do cinema avulta e se acentua, nos dias de hoje, porque vivemos em uma época em que as imagens não valem apenas mais do que as palavras. Elas valem mais até do que as ideias.
 

    O presidente norte-americano, Franklin Delano Roosevelt captando a importância da arte cinematográfica e, a partir daí, criando um neologismo que se denomina de mershandising diz claramente "onde vão os nossos filmes, vão os nossos produtos". Assim, o filme é uma espécie de abre-alas para exportar produtos e serviços da economia de um país. Do nosso lado, foi o presidente Lula da Silva justiça lhe seja feita que, a partir da criação do "Canal Brasil" passou a estimular as imagens. E a partir daí, a importância do cinema, resgatando um tempo que pontificou através da ação singular do cineasta baiano, Glauber de Andrade Rocha. É também algo como o que se denomina de softpower, que se contrapõe ao hardpower. Aliás, que se contrapõe, não. Que complementa o poder de um país. O hardpower é a força militar e até por que não dizer? a força econômica. Já o softpower é o poder suave. Neste, incluem-se as artes, dentre as quais destacamos a música e o cinema, com os filmes. Na atualidade, é claro que as marcas dos produtos gerados pelas empresas Coca-Cola, General Motors, General Eletric, Google e Ford, dentre outras ocupam o território de um país muito mais seguramente do que os militares, isto é, o exército, a marinha e a aeronáutica, que são partes expressivas do hardpower.  

    Precisamos aprender que "ou a dor nos constrói ou ela nos destrói". É exatamente por isso que encerramos essa modesta análise com o que já nos acautelava o senador brasileiro e ex-ministro do planejamento do governo do presidente Castelo Branco que "sempre que há muita indignação quanto às consequências, é porque as causas foram mal dimensionadas".

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Mais do ACidade ON