Macaco-prego resgatado passa por cirurgia na região de Ribeirão Preto Macaco-prego resgatado passa por cirurgia na região de Ribeirão Preto

Macaco-prego resgatado passa por cirurgia na região de Ribeirão Preto

Animal estava com ferimentos graves na região da boca e na mão; Médica-veterinária diz que bicho tem indícios de domesticação

Macaco prego resgatado se recupera em clínica de Barretos - Foto: Divulgação
 

Um macaco-prego resgatado pela Polícia Militar Ambiental (PMA) com ferimentos graves se recupera bem após passar por cirurgia nesta quinta-feira (30), em uma clínica veterinária de Barretos, a 120 quilômetros de Ribeirão Preto - veja o vídeo abaixo. 

A médica-veterinária e zootecnista Maria Ângela, responsável pelos procedimentos, afirma que o animal - um macho de aproximadamente quatro anos - deve permanecer no local por mais 10 dias até que se recupere totalmente e seja encaminhado para um santuário.

LEIA MAIS
Ribeirão Preto recebe Festival do Torresmo em julho; Veja os detalhes
Marcelo Tas é um dos palestrantes confirmados no Inova Ribeirão

Por ser extremamente dócil, ela acredita que ele foi domesticado, por isso não tem condições de ser solto. 'A gente pegou vários [macacos] pregos da natureza que você não consegue nem chegar perto e esse deixa pegar. Ele é humanizado, a gente sente e nota isso', comenta. 

'Os pregos vivem em bando e, ainda mais um macho, para ele conseguir um bando vai ter que lutar muito e ele ainda não tem essa expertise, ele não aprendeu a lutar. Então, ele não tem chance, se sair na natureza vai virar presa', complementa.

Localização 

De acordo com a veterinária, o macaco-prego foi encontrado na cidade de Bebedouro nesta semana. Uma pessoa acionou a PMA alegando que o animal havia sido atropelado. Maria Ângela diz que as lesões não indicam atropelamento e sim, ataque de outro animal.

'Atropelamento geralmente deixam outras escoriações. Ele tem um dedo quebrado - uma fratura exposta antiga, contaminada - aí tive que amputar. Também laceração grave na boca, desceu toda gengiva inferior, tive que colocar no lugar e fazer uma plástica na região que estava bem cortada', explica. 

Segundo ela, durante um ultrassom também foi identificado uma pequena mancha em seu pulmão, o que também está sendo tratado com medicação. A veterinária lembra que criar esse tipo de animal em casa é crime e causa muitos prejuízos à vida da espécie. 

'É contra a lei, as pessoas não podem ter esses animais e depois acontece isso. Por algum motivo, ela não consegue ficar mais, não procura a polícia e solta. Mas o animal não tem condições de sobreviver sozinho, ele cresceu sendo alimentando por ser humano', disse. 

Amor pelos bichos

Maria Ângela mantém um projeto social, em parceria com a Polícia Ambiental, no qual atende gratuitamente em sua clínica veterinária, em Barretos, animais silvestres resgatados em toda a região. Os bichos chegam com ferimentos dos mais variados tipos. 

A profissional teve sua história contada neste ano no programa Caldeirão do Huck, da TV Globo.Ele e sua irmã participaram do quadro The Wall. No desafio contra a parede, elas faturaram R$ 133 mil. O dinheiro foi revertido para seu trabalho voluntário que pode ser acompanhado por meio de seu instagram maria_angela_veterinaria. 

VEJA TAMBÉM - Últimos dias para inscrição em cursinho popular da USP de Ribeirão     


Mais Notícias

Mais Notícias