Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Cotidiano

Acidentes de trabalho no Brasil atingem uma Ribeirão Preto por ano

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, em 2017, foram registrados 675.025 acidentes desse tipo, sete mil a menos do que a população do município

| ACidadeON/Ribeirao

Em 2017: Segundo o Ministério do Trabalho, o Brasil teve cerca de 675 mil acidentes de trabalho (foto: Suamy Beydoun/AGIF/Estadão conteúdo)
 
Esta reportagem tem a garantia de apuração ACidade ON.  
Diga não às fake news!


Imagine uma cidade como Ribeirão Preto quase que totalmente habitada por vítimas de acidentes de trabalho. Esse é o cenário do Brasil. De acordo com dados do Ministério do Trabalho, em 2017, foram registrados 675.025 acidentes desse tipo, sete mil a menos do que a população do município. Hoje é comemorado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho.  

Os números dos acidentes de trabalho no país são assustadores: dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho mostram que, entre 2012 e 2017, a Previdência Social gastou mais de R$ 26,2 bilhões com o pagamento de auxílios-doença, aposentadorias por invalidez, auxílios-acidente e pensões por morte de trabalhadores.  

Isso significa dizer que, por ano, os gastos com acidentes de trabalho no Brasil representam um orçamento e meio de Ribeirão Preto, estimado para 2018 em R$ 3 bilhões.

Conscientização  

Para o empresário de Ribeirão Preto, José Roberto Lucheta, da Madrisa - Equipamentos de Segurança, apesar de o índice de acidentes de trabalho ser bastante alto, empresas e trabalhadores já começam a se conscientizar da importância do uso de equipamentos de segurança.  

"Com os equipamentos de proteção individual, já conseguimos reduzir o número de acidentes em quase 50% em alguns setores", afirma.  

Segundo ele, os custos para as empresas, que envolvem o acidente ou morte de um trabalhador, também fizeram com que a maioria aumentasse os invetimentos em segurança do trabalho. "Em alguns casos, os custos de uma indenização chegam a mais de R$ 1 milhão, o que, para a maioria das empresas, é um valor astronômico", completa. 

Uma morte a cada 4 horas  

Um estudo feito pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) mostrou que, a cada 4 horas, um trabalhador morre no país, vítima de acidente de trabalho. Em dados de 2017, segundo o governo, foram notificadas 2.351 mortes em situações de trabalho. 

Cerca de 15% delas envolve motoristas de caminhões. A cada ano, segundo o MPT, ocorrem 115 mil casos de adoecimento entre esses profissionais. Jornadas excessivas, privação do sono, fadiga e estresse estão entre os problemas mais comuns do setor. 

Perdas  

Em 2015, um levantamento feito pela organização SmartLab Decente, com base em cálculos da OIT (Organização Internacional do Trabalho) mostrou que o Brasil perde, por ano, cerca de 4% do seu PIB (Produto Interno Bruto), com gastos que decorrem de "práticas pobres em segurança do trabalho". De acordo com a organização, naquele ano, o país perdeu cerca de R$ 264 bilhões em acidentes de trabalho. 

A data 28/4  

O dia 28 de abril é comemorado em todo o mundo em memória de 78 trabalhadores norte-americanos, que morreram em um acidente em uma mina, no Estado da Virgínia. O acidente ocorreu em 1969.  

"Aqui em Ribeirão já houve vários casos de trabalhadores que se salvaram da morte por estarem usando equipamentos de segurança no local de trabalho". (José Roberto Lucheta - Empresário da área de segurança do trabalho) 

E se houver um acidente?  

Caso o trabalhador sofra um acidente de trabalho, a primeira providência é informar a empresa que, por sua vez, comunica a Previdência Social. Se ocorrer o afastamento, os primeiros 15 dias são pagos pela empresa. Após esse prazo, o INSS usa o auxílio-doença. Ao voltar, o trabalhador tem direito a 12 meses de estabilidade.

Mais do ACidade ON