Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

Cotidiano

Super-heróis doam carinho às crianças internadas no HC de Ribeirão

Festa antecipada de Dia das Crianças, organizada por voluntários da Turma Sangue Bom, arrancou sorrisos e promoveu encontros entre fãs e ídolos

| ACidadeON/Ribeirao

 

O sorriso no rosto do Luís Gustavo, de apenas 5 anos, não esconde a novidade: na ala infantil do Hospital das Clínicas, em Ribeirão Preto, o Dia das Crianças já chegou.  

As irmãs Elsa e Anna (do filme Frozen), Ladybug, Super-Homem e tantos outros personagens marcaram presença na festança, nesta quarta-feira (10), organizada voluntariamente pela Turma Sangue Bom. Mais de 30 pequenos internados participaram e se encantaram.  

"Não acredito que conheci o Jack Sparrow", ele conta, radiante nas vésperas de uma cirurgia para retirada do baço.  

O pai, Antônio Dantas de Oliveira, 44, explica que o menino tem anemia hemolítica. A doença é autoimune e causa a ruptura das hemácias (glóbulos vermelhos). "Faz 1 ano e 5 meses que estamos em tratamento e é um alívio enorme para toda a família ter momentos como esse".  

Betina também acompanhou as apresentações, que pararam a recepção da unidade. Aos 3 meses de vida, ela já é dona de uma história de super-heroína. Nasceu com dois sopros no coração, curou o primeiro e, agora, se prepara para um procedimento que deve eliminar o segundo. 

"Somos de Franca, mas passamos mais tempo aqui do que em casa", diz a mãe, Juliana Gomes da Silva, 34. "É o primeiro Dia das Crianças dela. A internação ocorreu na data certa, porque, quando recebemos a ligação de autorização da cirurgia, o sentimento é um misto de esperança e dor. Com essa recepção, ficou muito mais especial".  

Encontro entre fã e ídolo  

Para Samuel, 9, nem mesmo a entrega de presentes superou a visita do Homem de Ferro ao Hospital. O abraço e aperto de mãos descolado entre eles arrancaram gargalhadas do menino.  

Ele perdeu parte da visão, devido a uma atrofia no cérebro e insuficiência renal, mas a corrida em torno de seu ídolo chamou a atenção. "O que esses voluntários fazem por nós é impagável. No caso do meu filho, sofremos porque não há diagnóstico, mas cada família tem uma história. Proporcionar essa realização às nossas crianças é muito importante", diz a mãe, Tatiana Pereira, 35. 

Turma Sangue Bom  

Pelo 5º ano consecutivo, voluntários da Turma Sangue Bom, criado por Nara Lemos, 43, realizaram a festa de Dia das Crianças no HC. E por um motivo especial: o caçula de Nara ficou regionalmente conhecido em 2013, quando conseguiu um doador de medula compatível na Alemanha. Pedro tinha leucemia. Não resistiu ao tratamento e morreu em maio de 2014.  

De lá pra cá, as visitas ao hospital continuaram. Agora, Nara leva e recebe alegria dos pequenos. "Me sinto uma pessoa extremamente realizada e os sorrisos são minha recompensa. Tudo o que faço é motivado pelo Pedrinho", explica a voluntária.  

O Instituto da Criança, no HC, onde aconteceu a festa, é referência no tratamento de mais de dez especialidades e recebe pacientes de toda a região.