Aguarde...

Cotidiano

Mulher que esperou seis dias por vaga de UTI morre em Ribeirão

Rosana foi internada na UBDS Central com um aneurisma rompido e passou uma semana entubada, aguardando vaga no HC

| ACidadeON/Ribeirao

Rosana morreu no mesmo dia em que foi transferida para o HC (Foto: arquivo pessoal)
 

A paciente Rosana Antonio de Morais, de 55 anos, que ficou seis dias entubada na UBDS (Unidade Básica Distrital de Saúde) Central de Ribeirão Preto, não resistiu às lesões causadas por um aneurisma rompido e teve morte cerebral declarada na última sexta-feira (24).  

De acordo com a filha dela, Carolina de Morais, a constatação foi feita pelos médicos da Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas exatamente no mesmo dia em que a mulher conseguiu um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neurológico.   

"Lutei até o último minuto pela vida da minha mãe, mas o descaso que ela sofreu foi maior. Não quero que ninguém passe pelo que nós passamos, porque, na verdade, acredito que ela já estava morta quando foi transferida para o HC", desabafa.  

LEIA MAIS
Mulher com aneurisma aguarda leito de UTI há 6 dias
Paciente com aneurisma consegue vaga de UTI em Ribeirão  

ACidade ON acompanhou o caso de Rosana e chegou a questionar a Secretaria Municipal de Saúde sobre o tratamento que ela estava recebendo. Isso porque a mulher precisava ser tratada por especialistas, mas passou uma semana no Pronto Socorro por falta de vaga.  

A pasta confirmou na quinta-feira (23) que a paciente inspirava cuidados, mas disse que "a unidade de Saúde dispõe de todo o suporte necessário para o tratamento e manutenção".  

Já na sexta (24), um leito de UTI finalmente foi disponibilizado à Rosana e a transferência ocorreu no período da manhã. Às 18h24 do mesmo dia, no entanto, o óbito foi anunciado pelos médicos por falta de atividade e estímulos no cérebro.  

"A equipe me avisou quando chegamos no HC que o estado dela era crítico e que um quadro de aneurisma rompido tem, no máximo, quatro horas para ser revertido. Minha mãe esperou seis dias para isso. Quando teve a chance de ser tratada, não aguentou mais", finaliza Carolina.  

O enterro da mulher ocorreu no domingo (26), por 2 horas, apenas com familiares.

Mais do ACidade ON