Aguarde...

Cotidiano

Investimentos para os filhos: Quais as opções?

Geralmente é para o filho resgatar quando fizer 18 anos para comprar um carro, utilizar para pagar a faculdade ou simplesmente ajudar a começar a vida

| ACidadeON/Ribeirao

Eliseu Hernandez D'Oliveira, assessor de investimento da BlueTrade (Foto: Weber Sian / ACidade ON

Sempre me perguntam sobre qual o melhor investimento para começar a aplicar para o filho resgatar no futuro. Uma preocupação legítima que devemos ter sim. Geralmente é para o filho resgatar quando fizer 18 anos para comprar um carro, utilizar o recurso para pagar a faculdade ou simplesmente uma ajuda para o filho "começar a vida". Entretanto, não existe o melhor investimento que sirva para todas as situações e sim aquele que enquadre no prazo e no quanto os pais querem assumir de risco.

A primeira variável que precisa ser definida é quando será resgatado para então termos uma estimativa de prazo de duração do investimento. Existe uma boa diferença entre aquele que tem filhos com 15 anos de idade e resgatará com 18 e aquele que tem recém-nascido e resgatará na mesma idade. Quanto maior o prazo, maior o tempo em que os juros compostos irão agir e mais exponencial será o resultado final. Como também, quanto maior o prazo, maior o risco que se pode assumir.


1.Previdência

Isso mesmo! E não rende pouco como é divulgado e vou explicar o motivo. 

Porém, primeiro é necessário definir o tipo da previdência, isto é, se VGBL ou PGBL. O que irá determinar é se seu imposto de renda é simples ou completo. Também é necessário definir se será cobrado o imposto de renda Regressivo ou Progressivo. E por último, qual fundo de investimento fará a gestão do recurso aplicado. É aqui é que a rentabilidade pode ser pequena ou não.

Podemos escolher entre um fundo de renda fixa, multimercado, de ações ou até mesmo internacional. Se escolher um fundo de previdência que segue a taxa Selic, com certeza a rentabilidade será pequena. Porém, se escolhermos um fundo multimercado ou de ações, os resultados podem ser surpreendentes. Caso o prazo de resgate seja acima de 5 anos, recomendo um fundo de ações. Nada bate a bolsa de valores no longo prazo.

Logo uma boa aplicação seria uma previdência VGBL, com imposto de renda regressivo, alocado em um fundo de ação (ou multimercado de alta volatilidade). 


2.Tesouro IPCA+ (NTN-B) 

É o título do governo com remuneração mais uma taxa, por exemplo IPCA +3,00%. Se o IPCA for 4%, o título irá pagar 7% (aproximação). A grande vantagem é que você pode escolher um título que vence próximo ao ano em que você deseja resgatar. Imagine que você queira resgatar apenas em 2035. Você pode adquirir o TESOURO IPCA+ 2035. Ele vence em maio de 2035. Além de proteger contra inflação, grandes rentabilidades também podem ocorrer aqui.

Nas duas alternativas, não são necessários grandes valores nem para começar e nem para aportes adicionais. Hoje existem previdências em que você pode fazer aportes de 100 reais mensais e ainda escolher o débito direto da conta corrente (muito bom para quem não é tão disciplinado). E no caso do Tesouro IPCA+, esse mínimo cai para 40 reais. Logo a desculpa de que precisa de muito dinheiro para investir, cai por terra.

Por último, mas não menos importante, vale destacar que previdência não passa por inventário. Portanto, caso no meio do caminho, aconteça algo trágico e inesperado, os herdeiros terão acesso ao recurso de forma muito prática e rápida, sem necessidade de advogado.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON