Quatro morcegos com raiva já foram capturados em Ribeirão

Prefeitura considera número normal, mas pede atenção à população com o animal

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Wesley Alcântara
Cparks/Pixabay
A administração municipal informou que, na área urbana de Ribeirão, ainda não há presença de morcegos que se alimentam de sangue (Foto: Cparks/Pixabay)

 

Quatro morcegos com o vírus da raiva já foram encontrados em Ribeirão Preto neste ano. O caso veio à tona após moradores de dois bairros – Palma Travassos e Jardim Paulista – ficarem assustados devido ao aparecimento de um morcego doente em uma casa, o que levou os agentes de saúde a fazerem um bloqueio naquela área no início desta semana para orientar à população.

LEIA MAIS
Morcego com raiva assusta moradores do Palma Travassos e Jardim Paulista

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram encaminhadas, de janeiro a junho deste ano, 161 amostras de morcegos recolhidos na cidade para o Instituto Pasteur, considerado laboratório de referência para exames de raiva no Brasil. Só em 2016, foram 457 amostras enviadas ao instituto, com seis casos positivos de morcegos com raiva naquele ano.

Apesar de o número de morcegos doentes encontrados no primeiro semestre deste ano estar bem próximo do total recolhido em 2016, a Divisão de Vigilância Ambiental em Saúde considera que está dentro da normalidade. “De uma maneira geral, estes animais se dispersam por todo o município, não havendo uma área ou bairro específico que mereça atenção especial”, consta, em nota oficial. A maioria dos morcegos notificados e recolhidos pela Vigilância tem hábito alimentar insetívoro (se alimentam de insetos).

Atenção

Segundo a secretaria, essa espécie de morcego não ataca o ser humano e dificilmente esbarra em alguém durante o voo. Os ataques são associados somente às espécies hematófagas (que se alimentam de sangue) e geralmente acontecem enquanto a vítima está adormecida ou dormindo, sejam eles animais ou seres humanos.

A administração municipal informou que, na área urbana de Ribeirão, ainda não há presença de morcegos hematófagos. No entanto, mesmo a prefeitura tranquilizando os moradores sobre o risco menor de ataques, ela alerta que os morcegos podem transmitir a raiva quando estão infectados pelo vírus que provoca essa doença. “O vírus é transmitido pela saliva, por meio da mordedura, arranhadura dos morcegos”, explica.

Principais orientações

- Não manipule nenhum tipo de morcego, vivo ou morto
- Nunca tente capturá-los (reação de defesa com mordedura)
- Nunca utilize produtos químicos para desalojá-los
- Caso algum animal doméstico entre em contato com morcego, fale com a Divisão de Vigilância Ambiental em Saúde
- Caso alguma pessoa entre em contato com morcego, deverá procurar o serviço de saúde

NÚMERO DE MORCEGOS ANALISADOS E COM RAIVA
ANO A ANO

2016
457 amostras, com 6 casos positivos

2015
592 amostras, com 8 casos positivos

2014
526 amostras, com 8 casos positivos

2013
628 amostras, com 6 casos positivos


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.