O caso aconteceu em frente ao batalhão da Polícia Militar (Foto: Naiana Kennedy/CBN Ribeirão) O caso aconteceu em frente ao batalhão da Polícia Militar (Foto: Naiana Kennedy/CBN Ribeirão)

Passageiro acusa motorista de ônibus de Ribeirão de agressão

Consórcio PróUrbano contesta e afirma que motorista agiu em legítima defesa; caso aconteceu no Centro de Ribeirão Preto

O caso aconteceu em frente ao batalhão da Polícia Militar (Foto: Naiana Kennedy/CBN Ribeirão)

 
Um passageiro do transporte coletivo de Ribeirão Preto afirmou que foi agredido por um motorista de ônibus na manhã desta quinta-feira (4). O motorista e o passageiro foram encaminhados para prestar depoimento na CPJ (Central de Polícia Judiciária), no Centro.

O caso aconteceu por volta das 9h, no ponto em frente à Catedral de São Sebastião, na rua Florêncio de Abreu, próximo do batalhão da Polícia Militar. O almoxarife Rodrigo Baldini disse que estava esperando o ônibus para ir para o trabalho, mas o ônibus não teria parado no ponto.

VEJA TAMBÉM

Mulher morre em Ribeirão Preto após sofrer queimaduras por álcool

Morre Dona Fia, do tradicional restaurante no Centro de Ribeirão Preto

“Ali é um ponto de referência, ele tem que parar. Aí eu bati atrás do ônibus para ele parar, mas só parou porque estava no semáforo, o semáforo estava fechado. Aí a hora que entrei eu fui tirar satisfação com ele: ‘olha, você tem que parar no ponto lá’. Ele já veio com tudo me agredindo, me dando soco na cara, me dando soco na boca. Nem consigo enxergar do olho direito”, disse.

Ele ainda afirma que se assustou com a suposta reação do motorista. “Realmente, eu não esperava por isso. A gente não sai querendo brigar com ninguém, mas infelizmente o cara, também é trabalhador, deve ser chefe de família, mas não sei o que acontece, o que passa na cabeça dessas pessoas”, pontua.

Outro lado

Por meio de nota, o consórcio PróUrbano contesta a versão de Rodrigo e ainda afirmou que o motorista foi injustificadamente e “gravemente atacado” pelo passageiro. “Transtornado, [o passageiro] ingressou no coletivo já desferindo agressões físicas”, afirma. 

O PróUrbano ainda declarou que o motorista sofreu lesões corporais e que teria repelido a agressão em ato de legítima defesa. “Os fatos serão devidamente apurados pelas autoridades policiais, após o que as providências de estilo serão adotadas por esta concessionária”, disse.

No comunicado, o consórcio ainda afirmou que lamenta o ocorrido e disse que os motoristas recebem treinamento para trato adequado com os usuários e “excelência na prestação de serviços”.

LEIA MAIS

O que significa a internet 5G para o Brasil?

Mais Notícias

Mais Notícias