Publicidade

cotidiano

Yoga e meditação trabalham memória e concentração

Faça o teste proposto por especialistas e veja como está a sua memória

| ACidadeON/Ribeirao -

Para a professora de yoga Maria Teresa de Moraes, através da meditação é possível fazer um treinamento de firmeza, de consciência e presença, que leva a uma maior concentração (Foto: Weber Sian / A Cidade)
 

A professora de yoga Maria Teresa de Moraes garante que a atividade é uma excelente alternativa quando o objetivo é estimular a memória e a concentração. Isso porque, no yoga, além de posturas e movimentos, há a regulação da respiração e meditação.  

"Tenho muitos alunos que buscam no yoga uma melhora na concentração e, consequentemente, na memória. Tenho relatos de alunos que estão com a memória melhor, que conseguem fazer tudo com mais calma e não deixar as coisas no meio do caminho", comenta.  

A principal razão, segundo Teresa, é porque o yoga traz a consciência para o momento presente. "É a principal ajuda: deixar a pessoa mais consciente do que está fazendo, como seu corpo está sentindo, como as emoções estão naquele momento, naquela atividade. Isso tudo vai integrando e trazendo a possibilidade de coesão, de presença", explica.  

Além disso, , através da meditação, é possível fazer um treinamento de firmeza, de consciência e presença, o que leva a uma maior concentração.  

"Toda prática de meditação começa com a concentração. O yoga diminui a possibilidade de incômodos no seu corpo, como os sons, as dores, etc. (...)Tudo isso alivia as sobrecargas de informações, de noites mal dormidas, de estresse e ansiedade", encerra a professora.   

Marta Marisi Gobbo: 'gosto muito de ler e estudar sobre alimentação e até esses estudos ficam mais fáceis com a prática do yoga' (Foto: Weber Sian / A Cidade)

Quadro é reversível em qualquer fase da vida 

Especialistas confirmam que o excesso de compromissos, a correria do dia a dia, as noites mal dormidas ou problemas hormonais provocam lapsos de memória. A boa notícia é que é possível evitar esse quadro, em qualquer estágio da vida, com uma rotina mais saudável e equilibrada.  

Marta Marisi Gobbo, de 55 anos, é uma prova disso. "Em meio a conversas esquecia o que estava falando, esquecia o nome da pessoa e compromissos", conta a nutricionista, que tinha lapsos de memória com frequência.  

Na tentativa de desacelerar, ela buscou a prática do yoga. "Senti melhoras significativas. A meditação melhora a memória e aguça os sentidos. Assim fico com a mente mais clara, presto mais atenção no que estou fazendo e não me esqueço das coisas. O lapsos diminuem", reforça.  

Para ela, o yoga ajudou a lidar com a rotina atribulada. "Tenho o costume de meditar logo pela manhã e, com isso, sinto que começo o dia com mais calma, mais centrada e mais equilibrada. O dia em que não medito percebo que os lapsos aparecem. Fico com a sensação de cabeça ruim", completa.  

Além disso, Marta destaca o aumento da concentração. "A sensação que tenho é de que acordo pronta para aprender coisas novas", frisa.  

Por isso, ela acredita que, antes de procurar qualquer medicamento, vale a pena começar a praticar alguma atividade que exija concentração. "Além de melhorar a memória, é possível sentir uma diferença significativa na qualidade do sono", conclui.   

LEIA TAMBÉM 

Saiba quando se preocupar com os lapsos de memória


Mais notícias


Publicidade