Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Júri de acusado de matar PM será nesta quarta (13) em Ribeirão Preto

Crime que vitimou o cabo Roberto Abramovicius, o Brama, foi em 2017 em um posto de combustíveis na zona Norte da cidade; Alef Vieira dos Santos teria vingado a morte do irmão

| ACidadeON/Ribeirao

Alef Vieira dos Santos é acusado de matar o cabo da Polícia Militar, Roberto Abramovicius (Foto: Divulgação)
 

O júri popular de Alef Vieira dos Santos, de 25 anos, acusado de matar com um tiro na cabeça o policial militar Roberto Pereira Abramovicius, 38, conhecido como Brama, está marcado para esta quarta-feira (13), às 13h, no Fórum Estadual de Ribeirão Preto. O crime foi em 2017 em um posto de combustíveis na zona Norte da cidade, onde o policial, de folga, trabalhava como segurança.  

A suspeita é que Alef teria matado o cabo da PM para vingar a morte do irmão, Alfred Vieira dos Santos, 17, ocorrida em 2016. 

Alef responde por homicídio qualificado e teve a prisão preventiva decretada em 2017. Ele foi preso no dia 9 de setembro daquele ano na casa da namorada, em Pontal.  

Alef era foragido da penitenciária de Tremembé, onde cumpria pena no regime semiaberto por roubo.  

Após o assassinato do cabo Brama, seis pessoas foram baleadas e duas morreram em Ribeirão.   

O cabo Roberto Abramovicius foi assassinado aos 38 anos (Fotos: Rede social)

LEIA MAIS  

PM é baleado em posto de combustíveis da zona Norte

Morre PM baleado em posto de combustíveis da zona Norte 

Após assassinato de PM, seis são baleados e dois morrem 

'Família sabia que ele tinha inimigos', diz cunhada de PM morto 

Homens mascarados em carro prata são a marca do terror

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook