Aguarde...

cotidiano

Em ruínas, Memorial das Palmeiras tem até criadouros do Aedes

Espaço, que fica no cruzamento das avenidas Jerônimo Gonçalves e Fábio Barreto, em Ribeirão Preto, foi feito para preservar a história da cidade

| ACidadeON/Ribeirao

 
O Memorial das Palmeiras, no cruzamento das avenidas Fábio Barreto e Jerônimo Gonçalves, na região central de Ribeirão Preto, está completamente destruído.

O local, construído há 10 anos para homenagear as palmeiras-imperiais e a avenida Jerônimo Gonçalves, hoje não passa de ruínas. O ACidade ON esteve no local e, inclusive, encontrou criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue.

Em nota, a Secretaria Municipal de Cultura informou que "busca parcerias para a qualificação e revitalização do local". "O Memorial faz menção às palmeiras centenárias que compunham o paisagismo da avenida e é considerado um local simbólico, cartão postal e paisagem cultural de Ribeirão Preto", informou a Cultura, via assessoria. 
 


A história

Em 2009, a Prefeitura de Ribeirão Preto, em parceria com o Governo Federal, estavam realizando a obra antienchente, que alargou a calha do ribeirão Preto da Rotatória Amin Calil até o final da avenida Álvaro de Lima

Na avenida Jerônimo Gonçalves, 130 palmeiras-imperiais foram removidos das calçadas das vias para a obra. Para preservar a memória de um dos principais cartões-postais da cidade, as palmeiras foram replantadas em outros locais.

Dez destas palmeiras foram colocadas em uma praça, que ganhou o nome de Memoria das Palmeiras Engenheiro Theodoro Papa. Além do plantio das árvores, placas com fotos antigas da Jerônimo Gonçalves foram afixadas.

A intenção, na época, era preservar para os mais novos, as imagens e memórias de Ribeirão Preto. 
 
 
Links relacionados 
 
De 'cara' nova, biblioteca será reinaugurada no Centro
 
Aberta licitação para projeto de restauração de museus

Mais do ACidade ON