Aguarde...

cotidiano

Nuvem Godzilla: Ribeirão Preto não deve ser atingida

Entenda o que é o fenômeno que está chamando a atenção de cientista e meteorologista da América

| ACidadeON/Ribeirao

Nuvem se formou no continente africano e atravessou o oceano (Foto: NOAA / BBC)



Um fenômeno chamado Nuvem Godzilla vem chamando a atenção de cientistas. Trata-se de uma nuvem de poeira que sai do deserto do Saara na África e atinge algumas regiões da América.

O fenômeno é comum, no entanto, em 2020, a nuvem está mais espessa e, segundo meteorologistas, pode ser a maior em meio século. A poeira já é sentida em algumas regiões do Caribe.

A boa notícia é que, pela previsão, a Nuvem Godzilla não vai atingir o Brasil. Ele deve chegar, no máximo, ao Norte da América do Sul. A Venezuela pode ser afetada. 
 



Grande

Imagens de satélite mostram uma gigantesca mancha opaca encobrindo parte do Oceano Atlântico. A nuvem marrom que vai da África até o Caribe, cobrindo os tradicionais azul e branco vistos por satélite (veja comparação acima). Navios advertidos sobre a baixa visibilidade para navegação.

Olga Mayol, especialista do Instituto de Estudos de Ecossistemas Tropicais da Universidade do país caribenho de Porto Rico, a nuvem atual tem a mais alta concentração de partículas de poeira observadas na região em comparação com os últimos 50 anos. 
 




Efeitos

Ao mesmo tempo em que a nuvem de poeira ajuda a equilibrar o ecossistema do planeta, ela prejudica a qualidade do ar e isso pode ter impacto sobre a saúde humana.

O ar seco e empoeirado tem aproximadamente 50% menos umidade do que a atmosfera tropical típica, o que pode afetar a pele e os pulmões.

O alto teor de partículas também pode ser nocivo para pessoas com problemas respiratórios, causando alergias e irritações nos olhos.

Mais do ACidade ON