Aguarde...

cotidiano

Liberada importação de insumos da vacina testada em Ribeirão

Vacina contra o coronavírus é testada em 22 centros de pesquisa no Brasil, incluindo o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto

| ACidadeON/Ribeirao

(Foto: Governo de São Paulo/Divulgação)
 
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o Instituto Butantan a importar a matéria-prima necessária para fabricação da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com a instituição brasileira, para combater o novo coronavírus (covid-19).  

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A PANDEMIA
 
A CoronaVac é testada em voluntários de 22 centros de pesquisa no Brasil, entre eles o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e o Hospital do Amor de Barretos. A matéria-prima, que será importada da China, é suficiente para fabricação de 40 milhões de doses do imunizante.  

O pedido, somado a liberação realizada na sexta-feira (23), totaliza as 46 milhões de doses previstas no acordo firmado pelo governo paulista com a farmacêutica Sinovac. O primeiro lote liberado pela Anvisa, com 6 milhões de doses, virão prontas para a aplicação.  

De acordo com o Instituto Butantan, com a aprovação, o órgão segue em tratativas com o laboratório chinês para a liberação dos insumos. A Anvisa informou que a importação ocorre em caráter excepcional, mas que os estudos ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação.  

Não há ainda vacinas contra a covid-19 autorizadas no Brasil.  
 
Leia mais: 
Ribeirão confirma 93 novos casos de covid e duas mortes






Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON