Publicidade

cotidiano

Bombeiro de Ribeirão morto em queda de guindaste deixa 3 filhas

Corporação emitiu nota de pesar pela morte do cabo Gustavo Roberto Ciampaglia, de 43 anos, após acidente ocorrido em condomínio na região, nesta segunda (20)

| ACidadeON/Ribeirao -

O bombeiro Gustavo Roberto Ciampaglia tinha 43 anos de idade (Foto: Reprodução)
 

O cabo do Corpo de Bombeiros Gustavo Roberto Ciampaglia, de 43 anos, morto após a queda de um guindaste em um condomínio residencial de Jardinópolis, deixou a mulher e três filhas. O acidente, que ocorreu nesta segunda-feira (20), ainda deixou um outro bombeiro gravemente ferido. 

Segundo o 9º Grupamento de Bombeiros (GB) de Ribeirão Preto, o militar Ciampaglia, carinhosamente chamado pelos colegas de "Cia",  estava havia 13 anos na corporação. Antes, ele havia atuado por dez anos na PM (Polícia Militar).   

LEIA MAIS - Testemunha relata desespero com bombeiros presos embaixo de guindaste

"Em sua passagem na unidade deixou uma marca muito positiva e sempre será lembrado por seus amigos como uma pessoa integra, dedicada e um pai exemplar. Amante de atividade física, viagens em família sempre aproveitou os momentos de sua vida com muita alegria", disse o 9º GB, por meio de nota. 

O cabo, natural de Ribeirão, estava casado com Juliana Martins de Souza Ciampaglia e pai de Maria Cândida, Ana Laura e Clara.

O velório de Ciampaglia será restrito a familiares e amigos, entre 13h e 15h, no Memorial Campos Elíseos.  

Em seguida, haverá cortejo para sepultamento do corpo no Cemitério Municipal de Bonfim Paulista.  

Guindaste tombou durante poda de árvores em condomínio (Foto: Redes sociais)

O acidente 

A queda do guindaste ocorreu durante a poda de uma árvore em um residencial localizado às margens da rodovia Anhanguera (SP-330). 

Os militares estariam de folga quando atuavam no condomínio. 

O bombeiro ferido, identificado como Wallace Lima Valesi, de 33 anos, foi encaminhado para o Hospital das Clínicas - Unidade de Emergência (HC-UE), em Ribeirão Preto.   

Segundo as informações, o quadro de saúde dele é considerado grave, porém, estável.  

O caso foi registrado como morte suspeita acidental e está sob investigação da Polícia Civil de Jardinópolis, que deverá ouvir o operador do guindaste.  

 A empresa proprietária do equipamento tem sede em Ribeirão.

Mais notícias


Publicidade