Publicidade

cotidiano

Saúde de Ribeirão avalia retomar polo de atendimento de síndrome gripal

Segundo o secretário municipal da Saúde, tanto a situação da Ômicron como a da H3N2 preocupam; Vacina para gripe comum acabou

| ACidadeON/Ribeirao -

UPA Treze de Maio recebeu o polo covid em 2020 e 2021 (Foto: Weber Sian / ACidade ON)
A Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto avalia retomar o polo de atendimento de casos de gripe. Desta vez, porém, não seria apenas para atendimento da covid-19. O local seria um ponto de apoio para atendimento de quadros de síndromes gripais.   

Segundo o secretário municipal da Saúde, José Carlos Moura, reuniões diárias têm sido realizadas para avaliar o aumento da demanda nas unidades de pronto atendimento. Esse aumento foi de 30% a 40% nos primeiros dias desta semana.

O titular da pasta da Saúde concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira (29) após a confirmação da transmissão comunitária da Ômicron, que ocasionada a covd-19, e da circulação na cidade da influenza H3N2
 
De acordo com o secretário, as duas situações preocupam a Saúde, principalmente por acontecerem ao mesmo tempo. A Ômicron é a variante do coronavírus que se originou na África - são 7 casos confirmados em Ribeirão. Já a H3N2 está sendo responsável por surtos de gripe em todo o Brasil. Em Ribeirão Preto, são seis casos de H3N2, mas não há o sequenciamento para saber se se trata da variante Darwin. 
 
 
Sem vacinas 
 
Sobre a vacina da gripe comum, que tem campanha de vacinação entre o outono e o inverno - que pode prevenir a H3N2 - o secretário da Saúde disse que não há mais disponibilidade em Ribeirão Preto. 
 
A imunização agora vai depender da produção de novas vacinas por parte do Instituto Butantan. Há expectativa que novas vacinas sejam disponibilizadas até o final do primeiro semestres de 2022.
 

Mais notícias


Publicidade