Publicidade

cotidiano

Anvisa cancela autorização de spray antiviral israelense

Agência considerou que não foram apresentados estudos que comprovem eficácia do produto

| ACidadeON/Ribeirao -

(Foto: Pixabay/Thorsten Frenzel)
 
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cancelou autorização concedida ao spray antiviral Taffix no fim de dezembro. De acordo com a Anvisa, até o momento não foram apresentados estudos que comprovem a eficácia do produto israelense, fabricado pela empresa Nasuspharma.  

"Após receber autorização de notificação, produto apresentou alegações de ser bloqueador de vírus dentro da cavidade nasal e altamente eficaz no bloqueio de vários vírus respiratórios, incluído o Sars-CoV-2. No entanto, não foram apresentados estudos clínicos que comprovem eficácia para esse fim, o que torna necessário o cancelamento imediato", informa a agência.  

A resolução que cancela a autorização foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (19).  

Segundo a autoridade sanitária, as empresas que desejarem regularizar sprays antivirais "devem comprovar todas as indicações de uso propostas por meio de estudos clínicos".  

A identificação da irregularidade ocorreu por meio da Auditoria de Dispositivos Médicos Isentos de Registro, programa responsável por conferir o cumprimento de critérios e requisitos técnicos de produtos para saúde, regularizados de forma simplificada.  

Por meio da notificação, a Anvisa regulariza produtos para saúde isentos de registro. O regime de notificação dispensa análise técnica prévia para regularização do produto, desde que requisitos documentais sejam atendidos pelas empresas solicitantes.  

"Uma vez que o peticionamento seja realizado, o processamento dessas solicitações passa por rito inicial puramente administrativo, até a emissão do número de notificação. Posteriormente, a Anvisa realiza auditorias periódicas no banco de dados de produtos para saúde notificados, como forma de verificação de conformidade", justifica a agência.
 
Sede da Anvisa. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Mais notícias


Publicidade