Morro de São Bento e o reflexo do descaso municipal

Após reclamações do internautas, ACidade ON foi até o complexo e fotografou mais de 8 problemas; confira a galeria de imagens

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Júlia Fernandes
Weber Sian / A Cidade
Mato alto e o principal problema do entorno do Morro de São Bento (Foto: Weber Sian/ A Cidade)

 

Mato alto. Água parada. Poste caído. Descarte irregular de madeira. No Jardim Mosteiro, localizado na zona Norte de Ribeirão Preto, o descaso da Prefeitura Municipal chama a atenção da empresária Geni Rodrigues há mais de 25 anos.

Proprietária de um trailer alimentício, ela diz que uma das regiões mais tradicionais da cidade, na Praça Alto do São Bento, é cuidada apenas durante eventos importantes.

“Aqui só fica limpo antes do Tanabata [comemoração de origem japonesa que acontece naquele espaço] e atrações como esta, porque, no restante do ano, é um descaso eterno”, afirma.

VEJA MAIS FOTOS DO MORRO DE SÃO BENTO

Após reclamações enviadas por internautas do ACidade ON, a reportagem percorreu o entorto do bairro nesta sexta-feira (12) e constatou a presença de pelo menos oito problemas públicos.

Próximo a calçada da avenida Capitão Salomão, uma placa revestida de vidro está caída entre o mato predominantemente alto. Nela estava desenhado o mapa do município, com o trajeto para hospitais, shoppings, rodoviária, aeroporto e diversas linhas e pontos de ônibus.

Poucos metros depois, entre o Teatro Municipal e as Secretarias da Cultura e Esportes, uma fonte desativada vai na contramão dos apelos feitos pelo Ministério da Saúde: por lá, há água parada e muitos criadouros do mosquito transmissor da dengue.

Bancos quebrados, descarte de materiais recicláveis em áreas verdes e um poste de luz caído, mais uma vez, entre o mato alto, chamam a atenção para a revitalização do local, que faz parte do roteiro turístico de Ribeirão Preto. A presença de moradores de rua também é um ponto negativo indicado por Geni e que, consequentemente, afasta a população da área.

 

 

Morro de São Bento

Criado em 21 de agosto de 1995, o Parque Municipal Morro de São Bento, com área aproximada de 250,880.00 m², é um importante patrimônio natural do município. E, entre todos os problemas apontados na matéria, tem como objetivo a preservação dos ecossistemas naturais e recuperação das áreas degradadas.

No entorno, estão localizados o Bosque/ Zoológico Fábio Barreto, o complexo esportivo da Cava do Bosque e o complexo cultural, composto pelo Teatro Municipal e Teatro de Arena.

Parceria é alternativa

O especialista em administração pública Marco Aurélio Damião considera que um dos caminhos para a prefeitura dar conta de roçar as praças seria uma parceria com a iniciativa privada.
“Não sei por que a prefeitura não faz parcerias com empresas, o comércio e as indústrias, o setor de serviços e com profissionais liberais para a roçada e limpeza de praças e dos canteiros centrais. A lei federal 8.666 de 1993, a Lei de Licitações, prevê um chamamento público, uma parceria do poder público com a iniciativa privada, processo mais rápido e menos burocrático que uma licitação comum", disse Damião.

Outro lado

 Com relação ao mato alto, a prefeitura declarou que o local receberá os serviços de manutenção nas próximas semanas, juntamente com as praças do Jardim Mosteiro.

“As áreas públicas e particulares defronte à Secretaria da Administração e Sete Capelas terão a vegetação roçada nas próximas semanas.” A prefeitura informou ainda que a fonte desativada é limpa periodicamente junto com o Morro do São Bento.


1 Comentário(s)

Comentário

Divaldo

Publicado:

Quando será que Ribeirão vai encontrar um prefeito que zele pela cidade e não pelo seu projeto político?