Chuva deixa rastro de destruição em ruas da zona Norte de Ribeirão Preto

Segundo a Transerp, aproximadamente 30 cruzamentos apresentaram problemas por causa de temporal na madrugada desta segunda-feira (12)

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Gabriela Virdes

 

Um temporal durante a madrugada desta segunda-feira (12) causou inúmeros estragos e pontos de alagamento em Ribeirão Preto. Mas, apesar da forte intensidade, o Corpo de Bombeiros informou que não houve danos graves ou feridos.  

Na avenida Marechal Costa e Silva, próximo à Rua Patrocínio, a enxurrada abriu uma enorme cratera no asfalto. A Polícia Militar interditou o trecho e reforçou a sinalização. O mesmo aconteceu entre as ruas Paranapanema e Adalberto Pajuaba, na Vila Tibério, onde o asfalto se soltou e a via ficou destruída.  

"Onde houve problema com a pavimentação asfáltica, como na avenida Costa e Silva onde abriu uma cratera, os agentes de trânsito já sinalizaram o local com cavaletes", afirma a Prefeitura, em nota. "Seis agentes de trânsito estão nas ruas nesta manhã para orientar o tráfego de veículos e os motoristas", completa.  

Além dos problemas de asfalto, diversos pontos de alagamentos foram registrados na cidade. Dentre eles, a avenida Renê Oliva Strang, próximo à avenida Senador Teotônio Vilela, e o cruzamento das ruas Guatapará e Riachuelo. "A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros monitoram desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira os locais atingidos", informa.

Semáforos  

A forte chuva também trouxe problemas aos semáforos em Ribeirão Preto. Segundo a Transerp, desde o começo desta manhã, foram registradas diversas ocorrências de equipamentos com necessidade de manutenção corretiva.  

"Até o momento são aproximadamente 30 cruzamentos com problemas, locais estes que seguem monitorados pela equipe de fiscalização de trânsito", afirma em nota. "Oito semáforos que estavam danificados já estão com o seu funcionamento normalizado. A empresa está procurando atender sempre com prioridade os principais corredores de tráfego da cidade, de acordo com o maior movimento de veículos", reforça.

Queima de bomba  

De acordo com a Prefeitura, o temporal também causou a queima da bomba do poço do Jardim Paulista, além de deixar paralisadas, na manhã desta segunda-feira, o poço do Jardim Recreio e as estações elevatórias do Pompolo e Aliança.  

"A queima de bomba do Jardim Paulista foi provocada pela queda de um raio que destruiu o para raio e o painel elétrico do poço. Os técnicos do Daerp estão providenciando a troca da bomba e o reparo na parte elétrica", diz em nota, afirmando que a previsão é que os serviços estejam concluídos até o início da manhã desta terça-feira, dia 13.  

Lembrando que, o poço abastece as regiões do Jardim Paulista, Paulistano, Parque Bandeirantes, Castelo Branco e parte dos Campos Elíseos.  

Além disso, a Prefeitura informou que o poço que abastece o bairro Jardim Recreio também está parado por falta de energia elétrica na rede da CPFL. "A companhia ainda não informou a previsão de quando a energia estará restabelecida."

Estações Elevatórias  

A Prefeitura informou ainda que a forte chuva também provocou o desligamento das estações elevatórias do Pompolo, na região do Ipiranga. "No local a queda de energia provocou problemas elétricos, mas já está sendo reparado. A estação elevatória do Pompolo faz parte do sistema de abastecimento que atende parte do Ipiranga e Alto do Ipiranga", explica.  

Além disso, a casa de Máquinas localizada no bairro Nova Aliança também está desligada por falta de energia elétrica na rede da CPFL. "Ainda não existe uma previsão por parte da companhia para o retorno da energia. Ela faz parte do sistema que atende o Jardim Canadá, São Luís, Irajá e Alto da Boa Vista", conclui.


0 Comentário(s)