Aguarde...

Colunistas

O show tem que continuar

Analogamente, o planeta Terra, nossa casa Maior, também teve seus cômodos, os países, invadidos por um inimigo invisível, o Covid-19

| ACidadeON/Ribeirao


Luiz Puntel, escritor (foto: Mastrangelo Reino)

No conto Casa Tomada, Julio Cortázar narra o drama de um casal de irmãos, que vivem na mansão que pertenceu a seus familiares. De repente, a casa é invadida, tomada por um inimigo invisível. Para se proteger, só resta aos irmãos fecharem o cômodo invadido, vivendo em outras dependências da casa, até que são expulsos paulatinamente de sua propriedade.  

Analogamente, o planeta Terra, nossa casa Maior, também teve seus cômodos, os países, invadidos por um inimigo invisível, o Covid-19. Para nos protegermos, fomos fechando os cômodos, não só dos países, dos estados, das cidades, mas de nossas residências. A nossa casa, antes domicílio, moradia, transformou-se em abrigo, em um bunker de guerra. O poeta Drummond, no seu Congresso Internacional do Medo, profetiza momentos como este, o do medo que esteriliza os abraços, o medo da morte e o medo de depois da Morte.
 
Contraditoriamente, é o próprio Drummond que, acertadamente, no poema "Mãos Dadas", fala-nos da esperança de cantarmos o presente, de termos esperança, de não nos afastarmos muito, mas de irmos de mãos dadas. Ah, proféticos escritores Cortázar e Drummond! Vós vivestes outras pandemias, a da invasão do inimigo invisível denominado Guerra, mas profetizastes também momentos de esperança.  

Por causa da pandemia, chora agora a nossa pátria, mãe gentil. Choram agora Marias e outras Clarices no solo do Brasil. Mas, assim como o compositor Aldir Blanc, que recentemente teve sua vida ceifada pelo invisível inimigo, sabemos que uma dor assim pungente, tão dolorida, não há de ser inutilmente. Sim, porque temos que ter Esperança. A Esperança que dança na corda bamba, mas é a Esperança que nos equilibra e faz com que o show dos que sobreviverem tem que continuar.  

-----------------------------------------------------------  

Puntel, recluso, escutando um barulho que vem do corredor que leva à sala.

Mais do ACidade ON