Aguarde...

Colunistas

Auxílio Emergencial ainda é um assunto que gera muitas dúvidas

Muitas pessoas que, teoricamente, têm direito ao benefício concedido pelo Governo Federal ainda não estão conseguindo a aprovação do pedido

| ACidadeON/Ribeirao

Advogado e empreendedor social Hilário Bocchi (Foto: Divulgação)

Muitas pessoas que, teoricamente, têm direito ao benefício concedido pelo Governo Federal ainda não estão conseguindo a aprovação do pedido. É hora de ter atenção. Entenda como recorrer em casos de pedidos negados

Esse dinheiro liberado pelo Governo Federal, como o nome já diz, como forma de auxílio emergencial em virtude da situação de pandemia pelo novo Coronavírus tem deixado muitas pessoas preocupadas se vão conseguir receber ou não o benefício.

Esta medida foi anunciada ainda no começo do isolamento social, no momento em que muitos trabalhadores perderam parte ou totalmente a renda devido aos decretos de necessidade de fechamento de comércios, indústrias e demais empresas consideradas não essenciais.

Quem já conseguiu receber a primeira parcela do benefício já respeita com alívio, mas ainda tem muita gente com o pedido em análise ou mesmo que já teve a resposta de que foi negado. Mas nem tudo está perdido. Não é hora de desistir. O trabalhador ainda pode fazer as correções necessárias e refazer o pedido.

Lembrando que para ter direito a esta medida emergencial é preciso comprovar renda de meio salário mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Também, não pode ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, no ano base de 2018.


Por que meu pedido foi negado?
 

São vários os motivos que podem gerar a negativa do pedido, lembrando que a análise é feita pelo Governo através do cruzamento de dados e informações cadastrais. E que ao longo da vida vamos "fornecendo" vários dados para o Governo, mesmo sem saber. E o sistema tem feito a checagem desses dados em todas as portarias existentes.

Mas vale destacar também que muitos pedidos estão sendo negados por causa de preenchimento incorreto. Não tenha medo de errar, coloque todos os seus dados, mas preencha com calma e atenção.

No site consultaauxilio.dataprev.gov.br é possível verificar qual foi o motivo da negativa do pedido. Aí, o trabalhador pode fazer a correção.

Mas destaco que o problema de preenchimento de dados tem outras situações que podem complicar a vida de quem está esperando a aprovação do auxílio. Por exemplo, tenho recebido diversas mensagens com casos que o pedido foi negado por comparação de dados. Teve uma senhora que me contou que já está separada há muitos anos, mas nunca fizeram o divórcio. Então, quando os dois foram preencher o cadastro ele colocou como casado e morando no endereço dela, inclusive com o CPF dela, enquanto a senhora cadastrou como morando sozinha. Esse cruzamento de pedidos indicou informações incorretas e ambos tiveram os pedidos negados.

São várias as situações, já soube de uma pessoa que abandonou o emprego, mas não foi buscar a carteira de trabalho. No sistema consta que a pessoa está empregada e mesmo sem ter renda, o pedido foi negado.

Mais do ACidade ON