Aguarde...

Colunistas

Jingle Bell, Jingle Bell... Acabou o papel?

Sempre em janeiro ouvimos que as contas do final de ano somadas às contas de início do ano são um problema; Fique atento para não ultrapassar o limite dos seus recursos

| ACidadeON/Ribeirao

Eliseu Hernandez D'Oliveira, assessor de investimento da BlueTrade (Foto: Weber Sian / ACidade ON

Enfim é natal. Momento de compartilhar muitas alegrias, principalmente em um ano tão complicado. Momento de estar com a família, de encarar a piada do pavê, de discutir por causa de ideologia política e claro, lembrar do nascimento do Senhor Jesus. Nesta data também trocamos muitos presentes e fazemos banquetes dignos de reis. Porém a conta chega. Não só no peso na balança, mas também na fatura do cartão e na conta corrente minguando.

Sempre em janeiro ouvimos que as contas do final de ano somadas às contas de início do ano são um problema. O orçamento aperta e muitas vezes acabamos endividados. Nessa coluna sobre finanças pessoais e investimentos, esse assunto não poderia ficar de fora. Fique atento para não ultrapassar o limite dos seus recursos. Então segue algumas dicas que podem ajudar. 


Cuidado com o custo da comida e refeições

Parece bobo, mas muitas vezes o natal não se resume apenas a uma única refeição do dia 24 para o dia 25. Começa bem antes e engata as refeições da virada do ano. É jantar com colegas do trabalho, é almoço com a família da esposa (ou do esposo), é o banquete de natal e assim vai. Então planeje o quanto você quer gastar nesses momentos de alegria e se mantenha dentro deste objetivo. Gastou mais do que devia em um, economize no outro. 


Cuidado com os custos dos presentes

É amigo secreto daqui e dali, é o presente para o cônjuge e para filhos. Para os pais, para os sogros, irmãos e cunhados. Haja dinheiro para tanto presente! Porém um presente não precisa ser caro para ter significado. Se gastarmos um tempo pensando nos interesses e personalidade da pessoa que vamos presentear, conseguimos descobrir algo dentro do orçamento que faz mais sentido do que um presente caríssimo. 


Mantenha as festas simples

As festas de final de ano podem ser uma fonte de medo se você estiver preocupado com os custos (rs). Sempre é possível ser sofisticado dentro do orçamento. A ênfase deve ser em "criar memórias" e não em gastar dinheiro. Aconchego sempre vai ganhar da futilidade. Tente criar atividades para a criançada em vez de presentes caros. 


Planeje as festas com antecedência

Sei que na data desta coluna o natal já passou, mas fica a dica para o ano quem. Todos os anos têm natal assim como toda semana tem sexta-feira (ufa!). Então planeje. Nem sempre lembramos ou temos vontade de fazer isso. Eu mesmo brigo comigo mesmo para planejar e muitas vezes deixo passar. Não querendo parecer com o "faça o que eu falo e não o que eu faço", mas ainda sim o planejamento é essencial.

Para que a alegria do final de ano não acabe em tristeza no dia 2 de janeiro ou quando a fatura chegar, curta muito, mas seja responsável com suas contas.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON