Aguarde...

Colunistas

Dinheiro: A diferença da Bolsa de Valores e da economia real

O índice Ibovespa é formado por 83 empresas com maior volume negociado nos pregões dos últimos meses

| ACidadeON/Ribeirao

Eliseu Hernandez D'Oliveira, assessor de investimento da BlueTrade (Foto: Weber Sian / ACidade ON

A Bolsa de Valores segue em processo de recuperação e superou as expectativas mais otimistas quando chegou aos 120 mil pontos na última semana, ignorando a pandemia e outras incertezas domésticas. Por outro lado, vemos nas cidades, o comércio e os serviços parados por causa da quarentena. Vemos também indústrias parando a produção. Tudo isso impacta negativamente o PIB, empregos e, claro, a renda das pessoas - o que chamamos de economia real.

O índice Ibovespa (que mede o desempenho médio da bolsa) é formado por 83 empresas com maior volume negociado nos pregões dos últimos meses. São grandes empresas brasileiras, com market share relevante no setor que atuam e que em alguns casos se beneficiaram da pandemia.

Por exemplo, olhe para sua cidade. O comércio de rua ficou fechado por bastante tempo nos últimos 12 meses. Porém, as grandes redes de supermercado não, por serem consideradas essenciais (lógico!). Só que nesses mesmos supermercados é possível comprar eletrodomésticos, roupas, acessórios de carro entre outras infinidades de itens que fogem do escopo e que geralmente são vendidos no comércio de rua. Sem falar no e-commerce que teve um aumento de demanda absurdo, pois as pessoas começaram a comprar mais pela internet. Temos então uma concentração de receita em grandes empresas que possuem capital aberto. Economia real sofre, mas ações sobem.

Outra forma de enxergar é que as empresas da bolsa também geralmente estão expostas ao mercado internacional com receita em dólares. Como o dólar depreciou bastante, a receita dessas empresas também subiu muito em reais. Economia real sofre com inflação maior, mas ações sobem.

Sem contar que 50% do Ibovespa é formado por apenas 10 empresas, sendo que a Vale tem um peso de 13,8% e os setores de commodities e financeiro possuem as maiores relevâncias. A retomada da China e dos Estados Unidos, os dois grandes motores da economia global, explicam o crescimento forte dos preços das commodities. A economia real brasileira sofre, mas as ações sobem.

Juntamos tudo isso com as políticas de afrouxamento monetário dos bancos centrais mundiais e pacotes fiscais trilionários, temos muito dinheiro barato no mundo sem destino, que acaba indo para bolsas de valores e os preços das ações acabam subindo. Então antes de tomar como parâmetro o Ibovespa como indicativo de desempenho econômico, lembre-se que Bolsa de Valores é diferente de PIB.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON