Publicidade

cotidiano

Renda fixa para previdência é uma boa opção?

A renda fixa trás um conforto muito grande para o investidor: a previsibilidade

| ACidadeON/Ribeirao -

Helen Vogt, líder de Previdência na Blue3 (Foto: Divulgação)

Atualmente, com a Selic Meta no patamar de 12,75% ao ano (a.a.), estamos percebendo uma demanda muito grande por portabilidade de previdência para fundos de renda fixa. Essa migração em massa, considerando que se trata de recurso de longo prazo, é assertiva? 

A renda fixa trás um conforto muito grande para o investidor: a previsibilidade. Os investidores mais conservadores, desde julho de 2017, presenciavam a Selic em um digito e com uma tendência de baixa que se estendeu até agosto de 2020, quando chegou ao patamar de 2% a.a., batendo o recorde de menor taxa da história no Brasil. Os investidores viram-se obrigados a procurar alternativas mais rentáveis. Essa mudança na curva de juros, trouxe sofisticação para as carteiras de investimentos e fez com que as pessoas buscassem mais conhecimento e assessoria especializada, tirou todos da zona de conforto. Por outro lado, com a Meta Selic atual de 12,75% a.a. será que faz tudo voltar a ser como antes?  

Um dos melhores benefícios da previdência é a portabilidade, a liberdade que você tem de trocar de fundo. Esse movimento, além de prático, não gera custos e nem impostos. Mas, precisa ser utilizado com muita sabedoria.  

Muitos investidores, vendo os novos patamares da Selic, estão apertando o botão e saindo dos fundos de multimercados e ações de previdência para ficarem na renda fixa. Será que essa é a melhor alternativa mesmo?  

Não podemos esquecer que os fundos multimercados e de ações com gestores ativos, bem selecionados no longo prazo, mostram resultados consistentes acima do CDI, IBOV e inflação.  

Previdência em renda fixa é indicado? 

Vamos lá, para o investidor conservador, a maior parte dos investimentos devem estar em renda fixa pós-fixada. Não vá se aventurar, se você fica olhando o saldo diariamente e alguma oscilação te apavora a ponto de você querer sair do investimento por qualquer turbulência, fique na renda fixa.  

Imagine você no avião, começou uma turbulência, você quebra o vidro e se atira lá?! É isso que um investidor conservador faz quando está posicionado em algum ativo que não tem certeza que deveria estar e sofre oscilações, o prejuízo não se recupera mais e ainda fica o trauma.  
Para os investidores moderados, que começaram a testar os multimercados, fundos de inflação, fundos imobiliários e outros ativos de renda variável, neste período em que os juros estava super baixos e agora pensam em sair, analisar o resultado dos últimos 24, 36 meses sempre é o mais indicado. É melhor olhar para frente e entender onde o fundo está posicionado e quais as perspectivas futuras, antes de sair trocando de fundo só para ficar mais confortável e presenciar menos oscilações de curto prazo.  

Quando falamos de renda variável, a atitude de permanecer e confiar com resiliência é o que importa no longo prazo. Como diz Warren Buffet, "a Bolsa é um mecanismo de transferência de dinheiro dos impacientes para pacientes". 

Converso com muitos gestores, tanto de fundos multimercados como ações de previdência, e eles estão bem otimistas com as distorções de preços dos ativos no mercado. Oportunidade como esta que estamos tendo agora, com a bolsa próximo a 110 mil pontos e empresas cujo os balanços e múltiplos estejam sólidos com preço bem abaixo do que deveria estar sendo precificado, é o melhor cenário quando se tem tempo para aproveitar, como é o caso da previdência. Assim, sair das posições de multimercados e ações, pode te deixar de fora desta oportunidade de ganhos elevados no futuro.  

Faça uma carteira diversificada, uma parte em renda fixa, que seja seu colchão de segurança, e distribua bem suas aplicações de renda variável em ativos diferentes, na medida em que as oscilações não te incomodem.  

Faça a lição de casa estudando muito bem as gestoras, se você confiar na estratégia dos fundos e ativos da sua carteira, terá resiliência em passar pelos momentos mais difíceis e aproveitar os ganhos exponenciais que a renda variável pode te proporcionar, mas na medida certa para seu perfil nada de exagerar na dose. 

Caso tenha dúvida e não se sinta confortável de montar este portifólio sozinho, tenha um assessor de investimentos que te auxilie na construção e te proporcione ferramentas e materiais para que você estude, leve o conhecimento como seu aliado para que o crescimento de seu patrimônio aconteça de forma consistente e duradoura. 

Tenha um assessor de investimentos que te auxilie na construção desse portifólio e te proporcione ferramentas e materiais para que você estude, leve o conhecimento como seu aliado para que o crescimento de seu patrimônio aconteça de forma consistente e duradoura.

Publicidade