Aguarde...

cotidiano

Em 18 dias, maio já confirmou mais casos de covid-19 que abril

Só nos 18 primeiros dias de maio, 218 casos de infecção pelo novo coronavírus foram confirmados; em abril, foram 209

| ACidadeON/Ribeirao

Imagem ilustrativa (Foto: divulgação/Pixabay)
 

O número parcial de infecções pelo novo coronavírus (covid-19) disparou em Ribeirão Preto e já superou, só nos 18 primeiros dias de maio, o montante computado pela Secretaria Municipal da Saúde em abril.  

De acordo com o boletim epidemiológico mais atualizado, elaborado também pelo Departamento de Vigilância, 94 pacientes testaram positivo para a doença em março, 209 no mês passado e 218 entre o último dia 1º e essa segunda-feira (18).  

Das 2.185 notificações recebidas desde o início da pandemia, 521 pessoas estavam contaminadas na cidade. Quatorze testados apenas nas últimas 24 horas.  

Isso quer dizer que, em comparação com os dados de abril, maio adicionou nove casos a mais às estatísticas, com 12 dias a menos de diferença.  

Em contrapartida, a quantidade de pacientes suspeitos, que tiveram os sintomas da covid-19 descartados após a coleta do exame, caiu neste mesmo período.  

Ainda segundo a Secretaria da Saúde, 744 acompanhamentos foram excluídos nos 30 dias de abril e apenas 163 nos 18 de maio (até o momento).  

Essa é a primeira vez que o total de diagnósticos positivos é superior que os negativos no comparativo municipal. As estimativas, no entanto, são atualizadas diariamente pelos órgãos municipais competentes e estão sujeitas a modificações.  

Mais testes  

Em coletiva de imprensa concedida na última terça-feira (12), data em que Ribeirão bateu o recorde de infecções pelo novo coronavírus confirmadas em um dia, o secretário da Saúde, Sandro Scarpellini, explicou que o aumento dos dados é causado pelo estoque mais elevado de testes.  

De acordo com ele, o protocolo de testagens foi ampliado na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Treze de Maio e em algumas das principais UBDS (Unidade Básica Distrital de Saúde) da cidade.  

Agora, todas as pessoas que procurarem atendimento médico com sinais de gripe serão avaliadas. "Não trata-se do mesmo aumento que está ocorrendo em São Paulo, por exemplo [...]. Com esse reforço, vamos conseguir ter uma visão real da população e teremos a oportunidade de cumprir o isolamento individual de pacientes", explicou na época.


Mais do ACidade ON