Aguarde...

cotidiano

Estudo: um a cada quatro testes é positivo para covid-19

Pesquisa da USP revela, ainda, que o número de casos confirmadas de coronavírus triplicou em Ribeirão Preto em um mês

| ACidadeON/Ribeirao

Coronavírus (Foto: Divulgação/Instituto Butantan)
 

Um estudo encomendado pela USP de Ribeirão Preto mostra que uma a cada quatro pessoas que fazem o teste da covid-19 está infectada na cidade. Esse dado, referente a maio, cresceu em relação à última analise da universidade.  

A mesma pesquisa, realizada em abril deste ano, apontava que a média era de um paciente contaminado a cada 12 exames efetuados. Isso quer dizer que o índice de casos confirmados de coronavírus triplicou em um mês no município.  

Só nesta terça-feira (2), uma morte e 44 diagnósticos foram adicionados ao boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde. Ao todo, são 28 óbitos e 1.261 ribeirão-pretanos infectados pelo vírus desde o início da pandemia.  

LEIA MAIS
Ribeirão confirma uma morte e 44 casos de coronavírus em 24h
Covid-19: Calçadão de Ribeirão Preto fica cheio; Veja vídeo
Internauta denuncia lotação em linha de ônibus de Ribeirão
Fotos: Ribeirão Preto tem novo dia de aglomerações no Centro  

De acordo com o pesquisador da USP, Domingos Alves, a escalada de casos confirmados não surpreende os profissionais da saúde, mas preocupa principalmente com a retomada consciente das atividades econômicas.  

"Essas pessoas que foram para a rua fazer suas compras são as candidatas a serem as próximas infectadas em uma nova onda de covid-19 que vai aparecer no município. O prazo pra isso acontecer é de uma semana a 10 dias", explica.  

Os números analisados no estudo mais recente não incluem os testes realizados nesta semana, já que os laboratórios credenciados ao Estado de São Paulo demoram pelo menos três dias para liberar os resultados.  

A expectativa é que a população entenda a necessidade de cumprimento das regras de distanciamento e que a curva epidémica da cidade ainda não está estabilidade. Muito pelo contrário.  

"Essa curva está subindo, então, precisamos tomar o máximo de cuidado e seguir restritamente as medidas preconizadas pela Secretaria de Saúde. Evitar aglomerações, usar máscaras, lavar bem as mãos e sair de casa apenas quando houver necessidade são as principais e mais importantes delas", finalizada o pesquisador. Com EPTV.

Mais do ACidade ON