Aguarde...

cotidiano

Associação repreende uso de ivermectina contra a covid-19

Uso descontrolado desse medicamento, que não tem indicação médica para o novo coronavírus, pode causar efeitos colaterais graves

| ACidadeON/Ribeirao

Ilustração do novo coronavírus SARS-CoV-2. Imagen: CDC/autoridade de saúde dos EUA
 

A Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas, por meio do setor de comunicação de Ribeirão Preto, emitiu uma nota nesta segunda-feira (6) contra o uso de ivermectina para combater a covid-19. O mesmo foi adiantado pelo ACidade ON na seção ON Explica. Confira aqui
 
O comunicado, que também aponta os riscos da adoção indevida desse medicamento e até efeitos colaterais graves, diz que não há estudos clínicos que suportem um protocolo terapêutico para tratar ou prevenir a contaminação do novo coronavírus relacionado a composição. 
  
"Considerando que a descoberta de um novo remédio para tratar a covid-19 pode levar muitos anos, grupos de pesquisa realizaram testes in vitro; ou seja: em células infectadas pelo vírus, empregando fármacos conhecidos, que já estavam no mercado. Entretanto, a capacidade de transmissão desses vírus não era muito elevada, se comparada com a SARS-CoV2 que causa a covid-19, e a maioria das pesquisas iniciadas naquela época foi descontinuada", explicou.  

De acordo com a associação, a invermectina é indicada para tratar algumas parasitoses e também piolho em humanos.  

Quando utilizado de forma errada, em doses baixas, os efeitos adversos são dor muscular, tonturas, febre, dor de cabeça, agravamento de casos asma e elevação cardíaca, mas pouco frequentes. Já em doses altas, os sintomas podem ser tóxicos e mais intensos.  

"É importante ressaltar que esses efeitos são semelhantes a alguns sintomas relatados para a covid-19 e o individuo pode interpretar erroneamente", alerta Flávio da Silva Emery, professor associado da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP de Ribeirão Preto.  

Por isso, a indicação da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas é que as pessoas não usem nenhum medicamento sem comprovação cientifica e reforcem as medidas de prevenção realmente eficazes. O uso de máscara, cuidados com a higiene e isolamento social são os principais e mais recomendados pelas autoridades sanitárias. 
 
ON Explica  

Publicado na última quarta-feira (1º), a coluna ON Explica convidou o anestesista Gustavo Colli, integrante da Câmara Técnica para Assuntos da Pandemia de um hospital particular de Ribeirão Preto, para comentar algumas das mensagens relacionadas ao ivermectina recebidas pelo portal.  

A Secretaria Municipal de Saúde também foi procurada e disse, em nota, que "segue os protocolos do Ministério da Saúde para tratamento da covid-19 e a ivermectina, até o momento, não se enquadra nos referidos protocolos".

Mais do ACidade ON