Aguarde...

cotidiano

São Paulo deve ter 5 milhões de doses da CoronaVac em outubro

Um dos locais de teste da vacina é o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto; Projeção fala em 100 milhões de doses até maio de 2021

| ACidadeON/Ribeirao

CoronaVac (Foto: Divulgação / Sinovac Biotech)

São Paulo deve receber já em outubro 5 milhões de doses da vacina contra a covid-19 chamada CoronaVac. O imunizador está sem testado em vários locais do Brasil, sendo um deles no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto.

Neste final de semana, o governador João Doria (PSDB) usou sua conta no Twitter para confirmar a chegada das doses da vacina. Segundo ele, depois, o Estado vai aguardar a liberação da Anvisa para iniciar a aplicação.

Em São Paulo, o Instituto Butantan se tornou parceiro da farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, que desenvolveu a tecnologia, na fase de testes clínicos da CoronaVac.

Ainda de acordo com Doria, até dezembro serão 45 milhões de doses. "Os testes continuam com os médicos e enfermeiros voluntários em seis Estados e, em breve, se tudo correr como o planejado, poderemos imunizar milhões de brasileiros", escreveu o tucano no Twitter.

Já o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, projeta que até maio de 2021 serão 100 milhões de doses. Devido à transferência de tecnologia, além de importar as doses da China, o Butantan também vai fabricar o imunizante.

Como cada pessoa recebe duas doses para ter a proteção mais garantida, 100 milhões de vacina imunizam 50 milhões de pessoa - o Estado de São Paulo de 41 milhões de pessoas.

Gorinchteyn também informou que a campanha de vacina - após a autorização da Anvisa - deve seguir os padrões da vacinação contra a gripe comum, partindo dos grupos de risco. 
 
Abaixo você no vídeo a aplicação da primeira dose da vacina em Ribeirão Preto, no voluntário do Hospital das Clínicas, Ademir Meca: 


Mais do ACidade ON