Aguarde...

cotidiano

Marido e mulher passaram juntos por tratamento contra câncer

Confira a história de Emerson e Cláudia, moradores de Ribeirão Preto, que enfrentaram juntos a doença

| ACidadeON/Ribeirao

Cláudia e Emerson enfrentaram juntos a batalha contra o câncer (Foto: Marcella Cupaiuolo/reprodução/EPTV)
 
Um casal de Ribeirão Preto descobriu praticamente ao mesmo tempo que ambos sofriam de câncer. A notícia que mudou a vida da gerente de contas Cláudia Melo e do empresário Emerson Melo veio em julho de 2019.  

Cláudia descobriu o câncer de mama dois dias antes do marido começar a quimioterapia para tratar um tumor nos testículos.  

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE RIBEIRÃO PRETO
 
"Ele ia começar a quimioterapia na segunda-feira e na sexta-feira eu recebi o diagnóstico de que eu estava com câncer também. Então, aquele final de semana foi de muita aflição. Parecia que o chão se abriu aos meus pés. Eu pensei que eu ia morrer", disse Cláudia, em entrevista para EPTV.  

Os dois estavam com câncer em estado avançado. "A gente não tinha forças para trabalhar e nós dois somos autônomos, então nos preocupávamos também. Como faríamos para sustentar a casa, para manter as contas em dia?", completou gerente de contas.  

Eles começaram a quimioterapia, depois Cláudia precisou passar por uma operação e enfrentar mais seções de radioterapia para a cura da doença. O medo estava presente em cada parte do tratamento. Mas, aos poucos, a vontade em vencer a batalha se mostrou muito maior.  

"Foi importante eu começar o tratamento até um pouco antes dela. Eu passei pelo processo, vi como funciona e pude, de uma forma mais tranquila, poder ajudá-la. Porque ela sofreu muito com os efeitos colaterais", disse Emerson.  

Hoje, Emerson está curado da doença e Cláudia está em fase final do tratamento. Ela faz uma quimioterapia mais leve, sem efeitos colaterais a cada 21 dias.  

"Foram muitas lições. Por exemplo, de observar e dar valor às coisas mais simples da vida, como um pôr do Sol, um passeio de carro, tomar sorvete na esquina. São coisas simples, que hoje fazem toda a diferença", afirma o empresário.  

"Eram coisas que estávamos tão focados em nosso trabalho, em possuir, em ter coisas, que a gente esquecia do mais importante, que é estar com quem mais a gente ama. Então, nós aprendemos a viver todos os dias como se fosse o último", completou Cláudia (Com informações EPTV).


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON