Aguarde...

cotidiano

Professor Vitor sempre fez o bem sem esperar nada em troca

Aos 24 anos, docente de Educação Física é uma das vítimas da covid-19 em Ribeirão Preto; além da esposa, ele deixa um casal de filhos pequenos

| ACidadeON/Ribeirao

O professor Vitor Henrique com a filha Luiza (Foto: Arquivo pessoal)
 

O professor Vitor Henrique da Silva Azevedo deixou um exemplo para a família: o de fazer o bem ao próximo sem esperar nada em troca. O docente, que tinha 24 anos de idade, é uma das vítimas da covid-19 em Ribeirão Preto. 

Ele lecionava Educação Física em duas escolas estaduais da cidade: a Jardim Diva Tarlá de Carvalho e a Jenny de Toledo Piza Schroeder, respectivamente, no Jardim Diva Tarlá e no Jardim Presidente Dutra.

A esposa Juliana conta que Vitor praticava handebol e não tinha doença pré-existente.   

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS

Ela disse que o professor sentiu dor de cabeça e febre no último dia 9 de junho, quando procurou atendimento médico. Vitor precisou ser internado no dia 15 de junho e permaneceu intubado até o falecimento nesta terça-feira (23). 

"O maior exemplo que ele deixa é de sempre fazer o bem sem esperar nada de ninguém", declarou a esposa.  

Vitor deixa Juliana e um casal de filhos, de 4 anos e de 1 ano e 10 meses.  

A Federação Paulista de Atletismo, da qual Vitor era membro e atuava como árbitro, emitiu nota de pesar.   

"Aos 24 anos, Vitor Henrique foi mais uma vítima da covid-19. Fica aqui em nome de toda diretoria, atletas, árbitros e filiados nossos sinceros sentimentos aos familiares e amigos", disse em nota. 

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) também lamentou a morte do docente.  

"O professor Vitor se dedicava muito e é um exemplo de trabalhador na rede. Ele morre sem poder deixar um amparo para a sua família no momento em que o governo do estado discute em voltar as aulas, o que nós somos contra neste momento", declarou a direção da subsede em Ribeirão.  

A Apeoesp também afirmou que essa seria a segunda morte de professor pela covid-19 no período de dez dias na cidade.