ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Pai é acusado de estuprar filha de 19 anos na Vila Tibério

Denúncia foi feita pela própria jovem à Polícia Civil; vítima contou que pai a obrigou, mediante violência, a fazer sexo sem preservativo

| ACidadeON/Ribeirao

 

Jovem de 19 denunciou o próprio pai à Polícia Civil de Ribeirão Preto (Foto ilustrativa Pixabay)

Um vigilante de 52 anos é acusado de estuprar a própria filha de 19 anos. O caso foi denunciado à Polícia Civil pela própria vítima que disse que, mediante violência, o pai a obrigou a fazer sexo com ele na sala de casa e sem preservativo. 

O abuso sexual, segundo a jovem, ocorreu na manhã da última quinta-feira (28) na sala da casa dela, localizada na Vila Tibério, zona Oeste da cidade.  A vítima, que procurou a Polícia Civil no sábado à tarde, relatou ainda que o estupro já teria ocorrido outras vezes, mas temendo represália por parte do pai, que é uma pessoa violenta, sempre ficou calada. 

Como vive sob o mesmo teto que o pai e temendo represália por parte do vigilante, a jovem pediu medida protetiva urgente para manter o pai afastado dela.  

O caso será remetido ainda hoje à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que ficará responsável pela investigação do caso.
A notificação dos crimes de estupro cresceu 25% de janeiro a maio deste ano em comparação ao mesmo período de 2017. Neste ano foram registrados 64 casos contra 51 no ano passado.  

Inimigo íntimo  

Segundo estatísticas do Seavidas (Serviço de Atenção às Vítimas de Violência Doméstica e Agressão Sexual), 70% dos casos de violência sexual cometida contra crianças e adolescente ocorre dentro de casa e tem como agressor familiares ou pessoas íntimas da família.  

A psicóloga Sônia Aparecida Pires de Oliveira, que presta atendimento às vítimas no Seavidas, na maioria dos casos as denúncias de violência sexual e estupro nunca vem à tona na primeira ocorrência.  "Geralmente, essas denúncias só aparecem após a prática reiterada", diz a psicóloga. Em geral, os motivos do silencia da vítima é sempre o mesmo: medo do agressor ou sentimento de culpa.  

"A violência sexual pode produzir danos graves às vítimas, dependendo da durabilidade e do número de abusos", diz a Sônia Aparecida.  Os problemas vão desde o desenvolvimento escolar, a problemas emocionais sérios e dificuldade de relacionamento futuro.

Veja também