Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Seis são presos na Operação Curupira contra roubo de caminhões e cargas

A Polícia Civil cumpriu mandados em Ribeirão Preto, Serrana e Cravinhos nesta quarta (10), contra suspeitos de integrar quadrilha; três caminhões foram recuperados e três armas apreendidas

| ACidadeON/Ribeirao

 

A Polícia Civil de Ribeirão Preto prendeu nesta quarta-feira (10) seis homens suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo de caminhões e cargas que atuava na região. Outras quatro pessoas não foram encontradas e passam a ser consideradas foragidas.  

Foram expedidos dez mandados de prisão preventiva e outros dez de busca e apreensão em Ribeirão, Serrana e Cravinhos. 

Três armas e também bebidas, como refrigerantes e cervejas, foram apreendidas com os suspeitos, além de três caminhões recuperados no decorrer das investigações, que tiveram início há três meses.  

Entre os presos está Edson Bezerra, o Tico, apontado pela polícia como o líder da quadrilha. Ele foi encontrado em uma casa na rua Itamaracá, no Ipiranga, zona Norte de Ribeirão.  

Também foram presos o empresário Magno Fernandez Iozzi, Elivelton Alves Floriano, Jaime Rogério Serafim Gonçalves, Thiago Barbosa Guimarães e Enilson Sebastião de Paula.  

"Eles tinham uma logística criminosa bem elaborada. Tinham os que executavam os roubos e o que ficava longe do local do assalto, que depois ia lá e tentava desligar o sistema de rastreamento do veículo. Após isso, o motorista da quadrilha pegava esse veículo e levava para um local determinado", disse o delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) César Augusto de França.  

Ele exemplificou que se ocorresse a prisão do motorista com o veículo, ele seria considerado um receptador e poderia pagar fiança e responder em liberdade.    

No sentido horário, os presos Edson Bezerra, o Tico, Magno Iozzi, Elivelton Floriano, Jaime Gonçalves, Thiago Guimarães e Enilson de Paula (Foto: Divulgação)

O intelectual  

O empresário Magno Fernandez Iozzi é apontado pela polícia por adulterar os sinais de identificação dos veículos roubados. 

Ele foi encontrado em um sítio no distrito de Bonfim Paulista, onde foi apreendida uma das armas.  

"Ele é um dos mentores intelectuais da quadrilha. Fomentava os roubos e acabou ficando com um dos veículos que foi vendido para um receptador final", declarou o delegado.  

Segundo França, a polícia apurou que a adulteração ocorreria em uma empresa.  

"Eles adulteravam o chassi e, depois, emplacavam esses veículos legalmente. Tinham o documento do veículo e o chassi para ser implantado. Dois dos quadrilheiros saíam a campo na região para procurar o veículo certo para ser roubado", explicou.  

O grupo, que foi monitorado por meio de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça durante a investigação, é suspeito de cometer um roubo em Altinópolis em agosto e outro em Santa Rosa de Viterbo, em setembro. Há indícios ainda de outros oito roubos.  

Todos os presos devem ser levados para a cadeia de Santa Rosa de Viterbo e devem cumprir prisão preventiva de 30 dias.

A Polícia Civil explicou que a operação foi denominada de Curupira, um personagem do folclore, protetor das matas, após a constatação de que as vítimas eram levadas para matagais, onde ficavam em poder de integrantes do grupo.   

Outro lado 

O advogado José Augusto Ferraz, que defende o empresário Magno Fernandez Iozzi, disse que o seu cliente nega participação no esquema criminoso e que, por consequência, declara ser inocente.  

"Vamos ainda analisar as interceptações telefônicas da polícia, mas ele está à disposição da Justiça", ressaltou.

ACidade ON não localizou os advogados dos outros presos.

LEIA TAMBÉM 

Polícia Civil desmantela quadrilha suspeita de roubo de caminhões

QUER CONTINUAR LENDO ESTE CONTEÚDO E MUITOS OUTROS? FAÇA SEU LOGIN OU CADASTRE-SE

Informe seu e-mail e senha cadastrados para ter acesso a todo conteúdo do site:

ainda não tem cadastro?
QUER LER ESSE CONTEÚDO? CADASTRE-SE

Informe seu Nome, E-mail e senha para se cadastrar no Acidade ON

Quero ser informado sobre promoções e ofertas do Acidade ON e seus parceiros
Aceito os Termos de Uso do Acidade ON

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook