Aguarde...

cotidiano

Ex-policial teria matado a mulher e o filho, depois cometido suicídio

O delegado titular da DIG de Sertãozinho, Targino Osório, afirma que a polícia trata o caso com duplo homicídio seguido de suicídio

| ACidadeON/Ribeirao

 
O delegado titular da DIG (Delegacia de Investigações Gerais), Targino Osório, deixou a casa onde três pessoas da mesma família foram encontradas mortas, nesta segunda-feira (10), em Sertãozinho, afirmando que a polícia tratará o caso como duplo homicídio seguido de suicídio.

Leonardo dos Reis Andrade, de 43 anos, teria matado a mulher, Rosa Ana Andrade, 39, e o filho dos dois, Bruno Aparecido Andrade, que faria 21 anos hoje, com tiros de espingarda 44 enquanto dormiam. Depois do crime, tirou a própria vida na sala do imóvel com a mesma arma. Ele era ex-policial militar.

O motivo, porém, ainda será investigado. "Pela manhã, por volta de 7h15, ele mandou uma mensagem pelo celular à um amigo pedindo para que acionassem a polícia, pois havia acabado com a família. Agora, nos deparamos com essa cena triste, mas as causas ainda serão apuradas" explica o policial.

A tia do autor, Verá Lúcia Izan Andrade, conversou com o ACidade ON enquanto a perícia técnica ainda interditava a residência e disse que Leonardo havia se afastado dos parentes há alguns meses, depois que abriu uma metalúrgica. Ele já havia trabalhado como PM e, nos últimos dois meses, exercia o cargo de engenheiro em uma empresa conhecida da cidade.

"Fiquei sabendo através de uma ligação de celular e ainda não estou acreditando. Eles eram pessoas boas, estavam casados há mais de 20 anos. Nunca imaginei", conta, ainda muito emocionada. A suspeita da parente é que problemas financeiros tenham motivado a ação.

Às 14h14, vizinhos e amigos da família também cercaram o entorno da rua Antônio Malaquias Pedroso, enquanto a PM registrava a ocorrência. Os corpos devem ser encaminhados ao IML (Instituto Médico Legal).
 
LEIA MAIS
Três pessoas são encontradas mortas com sinais de violência em casa

Mais do ACidade ON