Aguarde...

cotidiano

Gaeco e TCE deflagram operação contra suspeita de fraudes em licitações

Prefeitura de Orlândia é alvo de busca e apreensão nesta segunda (16); secretários e empresários são investigados após supostas irregularidades em contratos de mais de R$ 14 milhões

| ACidadeON/Ribeirao

Paço Municipal de Orlândia é alvo de mandados de busca (Foto: Marcos Felipe / EPTV)
 

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e o TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), com apoio da PM (Polícia Militar), deflagraram na manhã desta segunda-feira (16) a Operação Loki contra suspeita de fraudes em licitações da Prefeitura Municipal de Orlândia. 

Segundo o Gaeco, núcleo de Franca, as licitações sob investigação resultaram em contratos que somam mais de R$ 14 milhões.

Após mais de um ano de investigações, foram cumpridos nesta segunda 115 mandados de busca e apreensão nas cidades de Nuporanga, Sales Oliveira, Morro Agudo, São Joaquim da Barra, Ribeirão Preto, Araraquara, Caraguatatuba, Taubaté, Itanhaém, além de Orlândia e da Capital paulista.  

Entre os investigados estão funcionários públicos, incluindo secretários municipais, diretores de departamentos, membros da comissão de licitações, engenheiros, advogado, além de empresários.   

Nove prédios públicos, incluindo a sede da Prefeitura de Orlândia, secretarias da Saúde, da Educação, do Desenvolvimento e Assistência Social, da Infraestrutura, Almoxarifado, Departamento de licitações, Mini-hospital e Departamento de Água e Esgoto (DAE), estão sendo visitados nesta manhã.

O Gaeco informou que identificou fraudes em pelo menos 23 licitações, superfaturamento de contratos, além de irregularidades em ao menos 13 contratações por meio de dispensa e inexigibilidade de licitação. 

Participam da operação 28 promotores de Justiça, 18 servidores do MP (Ministério Público), mais de 200 policiais militares, além do helicóptero Águia, três agentes de fiscalização e o diretor regional em Ituverava do TCE.  

O nome Loki é uma referência ao deus da mitologia Nórdica, conhecido como o pai da mentira, da trapaça, da farsa.

O Gaeco disse que as investigações prosseguirão com o objetivo de descobrir a participação de integrantes e apurar a prática de crimes como corrupção de agentes públicos, lavagem de dinheiro, cartel, falsificação de documentos, além de outras fraudes em licitações. 

Mais do ACidade ON