Aguarde...

cotidiano

Suspeito do assassinato de maquiadora transexual vira réu

José Martins Ayres Júnior, de 55 anos, teve a prisão preventiva decretada pela morte de Alice Garrefa, que desapareceu em Ribeirão Preto e o corpo foi encontrado em rio

| ACidadeON/Ribeirao

Corpo de Alice Garrefa foi encontrado em rio (Foto: Reprodução)
 

A Justiça aceitou denúncia e tornou réu o corretor de seguros José Martins Ayres Júnior, de 55 anos, pelo assassinato da maquiadora transexual Alice Garrefa. O suspeito também teve a prisão temporária convertida para preventiva. 

LEIA MAIS - Polícia prende segundo suspeito por morte de transexual

O corpo da vítima, que desapareceu em Ribeirão Preto em 3 de agosto deste ano, foi encontrado dias depois no rio Piracicaba, na região de Campinas.   

A Polícia Civil ainda não concluiu o inquérito sobre o caso, mas encaminhou um relatório parcial ao Ministério Público, que foi remetido à Justiça e a denúncia foi acatada.   

O suspeito está preso na cadeia de Santa Rosa de Viterbo e deverá ser transferido para um presídio em Ribeirão.

Motivação

Segundo a investigação, Alice teve um relacionamento com o suspeito e uma dívida de R$ 5 mil adquirida por ela com a compra de mercadorias teria motivado o crime. A maquiadora, que era de Sertãozinho, morava em Florianópolis (SC) nessa época.  

Após o término do relacionamento, a polícia disse que a maquiadora teria sido ameaçada de morte pelo suspeito por meio de mensagens de celular, por causa da cobrança da dívida.

Alice foi vista pela última vez ao deixar um motel de Ribeirão. Ela teria se encontrado com o suspeito no local.

O advogado de defesa do corretor, Alexandre Faleiros, disse à EPTV que o seu cliente nega as acusações. A defesa deverá pedir um Habeas Corpus. (Com EPTV) 

Mais do ACidade ON