Aguarde...

cotidiano

Família de Kelly pede justiça após assassinato em Ribeirão

Vendedora de 41 anos foi morta a tiros neste domingo (8), no Centro da cidade; ex-marido, contra o qual já havia medida protetiva, seria o principal suspeito

| ACidadeON/Ribeirao

 

Kelly Flauzino deixava churrascaria com amiga quando foi baleada em morreu (Foto: Rede social)

A família de Kelly Cristina da Silva Flauzino pede justiça após o assassinado da vendedora de 41 anos, ocorrido neste domingo (8), no Centro de Ribeirão Preto. O principal suspeito do crime seria o ex-marido da vítima, que ainda não foi encontrado. 

VEJA TAMBÉM - Vídeo mostra momento em que mulher é assassinada em Ribeirão

Josane Luis Lopes, 36, irmã adotiva da vítima, afirmou que Kelly possuía medida protetiva contra o homem e que o casal teria se separado há aproximadamente cinco meses. Eles teriam mantido relacionamento por dois anos.

Há dois meses, a irmã contou que Kelly chegou a ser atingida por uma substância química no rosto, durante uma confusão que teria envolvido familiares do homem.  

Kelly atuava como vendedora de roupas. Ela também teria sido proprietária de um salão de beleza nos Campos Elíseos, zona Norte.  

O sepultamento do corpo da vítima está previsto para acontecer na tarde desta segunda-feira (9), no Cemitério Bom Pastor.

O crime  

Kelly Cristina da Silva Flauzino e a uma amiga deixavam uma churrascaria e estavam embarcando em um carro de transporte por aplicativo quando foram surpreendidas pelo atirador na rua Floriano Peixoto. Na imagem de uma câmera de segurança, o homem aparece a pé e com um capacete na cabeça. (assista ao vídeo) 

Kelly foi baleada e morreu ainda no interior do veículo. Ela teria sido atingida por dois disparos: um na cabeça e outro no peito. A amiga também ficou ferida com um tiro de raspão na região do quadril, mas já deixou o hospital.   


A amiga que estava com Kelly usou um post do ACidade ON para comentar sobre o fato em uma rede social.  

"'Amiga, lute pelos seus sonhos, você já é vencedora eu acredito em você', essa foi a última frase que ouvi da sua boca no nosso almoço de domingo antes de sofrermos essa tragédia. Infelizmente, você se foi e pela graça e proteção de Deus estou aqui com muita dor, mas viva", escreveu.  

A amiga de Kelly, porém, disse à EPTV que não conhecia o ex-marido da vítima e que não conseguiria reconhecer o atirador, pois ele estava de máscara e capacete.  

A mulher atingida de raspão contou estar de repouso em casa. Ela ainda deverá ser ouvida pela Polícia Civil.

Outro lado 

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) disse, por meio de nota, que os fatos são investigados pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Ribeirão e que não poderia divulgar informações "para não atrapalhar o trabalho policial".  



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON