Publicidade

cotidiano

Homicídios culposos em acidentes de trânsito têm alta de 33%

Em Ribeirão Preto, foram 36 ocorrências entre janeiro e julho de 2021, contra 27 no mesmo intervalo do último ano

| ACidadeON/Ribeirao -

Diminuir o estresse é fundamental para evitar acidentes, diz especialista em trânsito (Foto de arquivo: Matheus Urenha / ACidade)
As delegacias de Ribeirão Preto registraram, entre janeiro e julho deste ano, uma alta de 33,3% nos casos de homicídio culposo por acidente de trânsito - quando não há intenção de matar - em comparação ao mesmo período de 2020. 

Foram 36 registros desta natureza na cidade, contra 27 no mesmo intervalo do ano passado, aponta balanço mais recente da SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo).  
 
LEIA MAIS: Após 18 meses, São Paulo volta a realizar blitz da Lei Seca

Na Semana Nacional do Trânsito, o ACidade ON ouviu Raquel Alqvmist, psicóloga e especialista em segurança viária. Ao portal, ela orientou os condutores sobre as boas condutas na direção e deu dicas de como evitar acidentes. 

"As principais condutas são a segurança, o respeito aos usuários e a obediência às leis. Como respeitar e dar preferências aos pedestres, cuidado ao se aproximar de uma bicicleta e motocicleta. São usuários mais vulneráveis no trânsito, e qualquer acidente com estes usuários resultará em lesões", ressaltou.   

"Também é importante respeitar os limites de velocidade, não usar o celular enquanto dirige, e nunca dirigir se tiver ingerido mesmo pequena quantidade de álcool", completou a psicóloga. 

Pandemia x trânsito 

Segundo a especialista, a quarentena expôs ainda mais uma classe em específico: os motociclistas. Balanço do Infosiga revela que, desde março de 2020, das 105 vítimas que morreram no trânsito de Ribeirão Preto, 61 pilotavam motocicletas quando se acidentaram - o número corresponde a 58% do total de óbitos. 

O levantamento contabiliza os acidentes que ocorreram em vias públicas e estradas da cidade. "Devido às restrições, a pandemia trouxe um aumento significativo dos serviços de entrega por motocicleta. Ao mesmo tempo, a dificuldade econômica levou muitas pessoas optarem por um veículo mais econômico como a motocicleta, o que também contribuiu para uma maior exposição destes usuários no trânsito e, por consequência, mais vítimas", argumentou Alqvmist.   
  
Desde o início da pandemia, motociclistas representam 58% das vítimas fatais do trânsito em Ribeirão Preto (Foto: Weber Sian / ACidade ON)
É possível não se estressar no trânsito? 

A chave para manter a calma na direção é identificar a origem do estresse e combatê-la, explicou a psicóloga. A cortesia e a prática de exercícios físicos também são armas importantes contra o problema, salientou Raquel. 

"Irritação constante, dificuldade para dormir e falhas da memória são sintomas do estresse, e os sinais de que a pessoa precisa estar atenta para que não exploda sem motivo. O exercício físico é um bom remédio para o estresse. No trânsito é importante lembrar que o outro motorista também pode estar sob estresse. Portanto, sempre ceder a preferência, mesmo que seja sua", finalizou. 

Mais notícias


Publicidade