Publicidade

cotidiano

PM prende suspeito e apreende fuzil após ataque a banco na região

Crime ocorreu na madrugada desta quinta (25), em Ibitiúva, distrito de Pitangueiras; homem confessou ter ligação com o PCC, diz polícia

| ACidadeON/Ribeirao -

  
 
A PM (Polícia Militar) prendeu um suspeito de participação no ataque a banco ocorrido na madrugada desta quinta-feira (25), em Ibitiúva, distrito de Pitangueiras.

Um fuzil e um carro foram apreendidos na estrada de Lusitânia, distrito de Jaboticabal, onde o homem foi detido. Os outros integrantes do bando - que seriam mais sete pessoas - conseguiram fugir. 

A Polícia Civil informou que o homem alegou ter ligação com a facção PCC (Primeiro Comando da Capital).

Na agência, ao menos dois caixas eletrônico foram danificados em uma explosão.  

Cinco trabalhadores de uma usina que estavam próximos do banco na madrugada chegaram a ser feitos reféns e foram liberados em seguida.
 
VEJA TAMBÉM: Trabalhador fica em estado grave após cair de telhado em Ribeirão

A PM informou que houve troca tiros durante a fuga.

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra que o veículo, um Fiat Siena, ficou com os vidros destruídos por disparos de arma de fogo. (assista acima)

Segundo o tenente Tharcísio Tasso, do 11º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) de Ribeirão Preto, o homem detido disse que outros sete suspeitos também teriam participado do crime.  

"Foi passado pelo preso que eles estavam em oito pessoas, já com o plano de fazer o roubo a banco em Ibitiúva. Ele foi detido na própria estrada onde teve o confronto, no quilômetro 14", disse o tenente.  

Nenhum policial ficou ferido no confronto. 

Além do Siena, um Renault Duster também teria sido utilizado no ataque, informou o tenente Tasso.  

O automóvel estava sem emplacamento e conseguiu deixar a estrada, ainda de acordo com o policial.    

Fuzil estava dentro de carro apreendido pela PM (Foto: Reginaldo Coelho / Divulgação)

O caso

A agência atacada pertence ao Bradesco e fica na avenida Três, em Ibitiúva.  

Segundo as informações, os reféns seriam funcionários de uma usina que estariam à espera de transporte nas proximidades do banco. Eles foram liberados sem ferimentos.

Após a ação, o Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) foi acionado para verificar se há explosivos no interior da agência. 

Em nota, o Bradesco informou que está "atuando para restabelecer o atendimento ao público o mais breve possível".  

Enquanto isso, os clientes estão sendo direcionados para a agência de Pitangueiras.  

O banco, contudo, não informou se foi levado dinheiro durante a ação criminosa.
 

Mais notícias


Publicidade