Publicidade

cotidiano

Justiça condena mulher que gravou vídeo após atropelar e matar namorado

Cláudia Aparecida Fernandes Nascimento foi condenada a cinco anos de prisão em regime aberto; O crime aconteceu em dezembro de 2019 em Ituverava

| ACidadeON/Ribeirao -

Claudia e Adriano mantinham relacionamento (Imagem: reprodução / redes sociais)
Claudia e Adriano mantinham relacionamento (Imagem: reprodução / redes sociais)
A autônoma Cláudia Aparecida Fernandes Nascimento, acusada de atropelar e matar o namorado Adriano Joaquim Sampaio foi condenada a cinco anos de prisão em regime aberto. O crime aconteceu em dezembro de 2019, na cidade de Ituverava, a 100 quilômetros de Ribeirão Preto.   

O julgamento da ré ocorreu por Júri Popular no Fórum de Ituverava. Formado por seis homens e uma mulher, o Júri foi encerrado na tarde desta quinta-feira (26). Pela sentença proferida pela Justiça, a ré deverá cumprir toque de recolher noturno, comparecer mensalmente ao fórum da cidade e não pode mais dirigir. 

A condenação corresponde a quatro anos e seis meses pelo crime de homicídio simples 'privilegiado' - prerrogativa para diminuição da pena, e mais seis meses pelo crime de embriaguez no volante. A defesa de Cláudia sempre alegou que ela agiu em legítima defesa por causa das ameaças sofridas do companheiro. 

O crime     

Adriano Joaquim Sampaio, de 45 anos, foi atropelado e morto no dia 28 de dezembro de 2019.  O caso ganhou repercussão na época porque Claudia gravou um vídeo confessando o crime e deu indícios de que havia feito aquilo porque ele era violento contra ela (veja o vídeo abaixo).

Testemunhas afirmaram que Claudia conduzia um veículo Pálio, de cor cinza, quando passou por cima da vítima duas vezes. Adriano foi arrastado por alguns metros e ficou preso sob o carro. Em outro vídeo, populares aparecem levantando o Pálio para soltar o corpo de Adriano. 

Segundo o boletim de ocorrência, ela já teria medidas protetivas deferidas pela Justiça, mas ainda se relacionava com ele.No dia do crime, ela confessou que havia ingerido bebida alcoólica e foi presa em flagrante por homicídio qualificado e embriaguez ao volante. 
 

Publicidade