Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Jovem morto pela PM tinha deixado a Fundação Casa havia um mês

Sempre cercado pelo crime, suspeito de assassinar policial foi morto durante uma operação em Ribeirão Preto

| Jornal A Cidade

Weber San - 03.mai.2015 / A Cidade
Patrick durante entrevista para o A Cidade em 2015 (Foto: Weber San - 03.mai.2015 / A Cidade)

Patrick Cardoso dos Santos, 20 anos, dizia estar com o futuro encaminhado: queria ser pastor e se formar em Administração.

Suspeito pela morte de um policial militar, foi morto pela PM na madrugada desta quarta-feira (20), menos de um mês após deixar a Fundação Casa, onde cumpriu dois anos e sete meses de internação por latrocínio (roubo seguido de morte).

VEJA GALERIA DE FOTOS

ASSISTA AO VÍDEO

O caminho de violência começou a ser traçado aos 10 anos, quando pegou a arma do pai – que estava preso – para praticar um roubo, terminou com a mesma brutalidade.

Patrick é suspeito de matar o policial Edson Luiz Marques no domingo e o Ministério Público vai apurar se houve retaliação da PM.

“Só encontrei coisa ruim no crime. Meu sonho começa agora”, em entrevista ao A Cidade em junho do ano passado, ainda como interno da Fundação, o jovem fez planos.

A reportagem traçou o perfil de adolescentes infratores e a história de Patrick foi contada – sob o nome fictício de Paulo.

Aos 9 anos, ele e o irmão foram morar com o pai, que usava drogas. “Minha mãe casou com um cara”, explicou na entrevista. Em poucos meses, o pai foi preso por roubo e os filhos ficaram sozinhos. “Meu tio ajudava, mas a gente ficou sozinho na vida, dona. Eu era um menino segurando uma arma”, Patrick contou.

Até a última apreensão, em 2013, pela morte do pastor Newton Cesar Reyde, ele teve, pelo menos, oito passagens pela Fundação por roubo e tráfico. Em uma delas, informou em relatório que “estava tranquilo pois era a sexta vez que passava por lá”.

Era apontado como um menino comunicativo, calmo, respeitoso e com liderança positiva por psicólogos e assistentes sociais que o avaliaram desde sua primeira passagem, em 2008, aos 13 anos.

Em junho do ano passado, a avaliação da Fundação sobre o jovem ainda era positiva. O juiz Paulo Gentile, da Infância e Juventude, acabara de barrar a saída de Patrick da internação, para contragosto do então diretor da unidade. “Ele é ótimo. Para mim, o Patrick já está pronto para retornar à sociedade”, defendeu Reinaldo Almazan.

Patrick não conseguia contar quantas vezes havia deixado e voltado para a escola. Dizia que não usava drogas. Com o dinheiro dos roubos, comprava para revender e se manter.
Reclamou que, em todas as vezes que deixou a Fundação, o fez sem apoio algum para recomeçar.

Reprodução
Patrick cumpriu dois anos e sete meses de internação por latrocínio (Foto: Reprodução)

“Um garoto foi morto. Um policial é morto. Na sociedade, as respostas são superviolentas. Terminar com a violência cíclica exige quebrar esse muro que acaba fechando pessoas como Patrick nesse cenário”, defende Rodrigo Pereira, do Instituto Sou da Paz.

Nas poucas semanas fora da Fundação, Patrick passou dois dias na casa de uma tia. “Ele disse que queria mudar de vida, arrumar um emprego”, contou uma sobrinha. Não deu tempo. A violência foi mais rápida.

Análise>>>Ninguém respeita as leis

“Apesar de nossas leis serem avançadas, está acontecendo no Brasil, nos últimos três anos, uma reação conservadora de duas vertentes. A primeira é que a instituição, que deveria fazer cumprir as leis, é a primeira a transgredi-las, dando à sociedade o exemplo de que, se a polícia faz justiça com as próprias mãos, isso é normal e todos também podem fazer. A segunda é a criminalização seletiva: pobres, negros, pessoas com baixa escolaridade são vitimizados, elimindos. Junto a tudo isso, falta investimento em políticas públicas. Tentamos solucionar um problema quilométrico com investimentos milimétricos.

Julio Jacobo Waiselfiz, criador do Mapa da Violência

É preciso investir em políticas públicas

Na entrevista de junho passado, Patrick justificou sua vida de crime pela necessidade. “Eu precisava comer e, sozinho, não tinha como conseguir dinheiro se não fosse no crime.”

Na reportagem de junho, A Cidade mostrou, por números, o perfil do jovem infrator: jovens em situação de vulnerabilidade social, que deixaram a escola, moram na periferia, são negros ou pardos, têm16 anos ou mais.

“Enquanto não houver a presença do Estado, oferecendo educação, saúde, políticas públicas, estaremos falando de um problema sem saída. Esses jovens vivem um processo de marginalização”, diz o sociólogo Maximiliano Martin Vicente, professor da Unesp.

É consenso entre Maximiliano, Rodrigo Pereira, que é coordenador da área de prevenção a violência do Instituto Sou da Paz, e Julio Jacobo Waiselfiz, pesquisador responsável pelo Mapa da Violência: é preciso priorizar e investir em políticas públicas.

Pastor

O pastor Newton Cesar Reyde foi morto por Patrick em março de 2013. A Cidade entrou em contato com a família de Newton nesta quarta, que não quis comentar a morte de Patrick. A Fundação Casa tentou um reencontro entre a mulher de Newton e Patrick, mas não foi possível. O jovem escreveu, então, uma carta à família, se desculpando.

Mastrangelo Reino / A Cidade
Cômodo onde Patrick foi abordado pela polícia (Foto: Mastrangelo Reino / A Cidade)

Operação na madrugada

Patrick Cardoso dos Santos foi morto a tiros por um PM na casa onde morava na Travessa Carvalho, durante a madrugada desta quarta, na Vila Albertina, zona Norte de Ribeirão Preto. Os tiros atingiram o tórax e o ombro do rapaz. No boletim de ocorrência, consta que o policial atirou “para preservar sua integridade física e de sua equipe”.

Esse é o sétimo homicídio registrado no ano e a terceira ocorrência em cinco dias envolvendo mortes após supostos confrontos entre moradores e policiais. Patrick era suspeito de ter matado, no último domingo (17), o policial militar Edson Luiz Marques, 44 anos, que fazia a segurança de uma padaria no Ipiranga.

Segundo o boletim de ocorrência, os policiais militares foram até a Travessa Carvalho na madrugada desta quarta para averiguar denúncia de armazenamento de droga e arma de fogo. Após entrarem na casa, após autorização de uma das moradoras, Patrick teria saído repentinamente do cômodo de outro imóvel aos fundos em direção aos policiais portando um revólver calibre 38. A ordem para abandonar a arma não teria sido respeitada. Um dos policiais efetuou os dois disparos.

O tenente Thiago Pedroso nega qualquer retaliação dos policiais em relação à morte do militar no último domingo. “Só fomos descobrir que o rapaz era o Patrick bem mais tarde. Nem sabíamos que ele estaria lá.”

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirma que “foi instaurado um inquérito policial militar pelo batalhão, ao mesmo tempo que a Corregedoria da Polícia Militar apura se houve alguma irregularidade na ação”. (Wesley Alcântara)

Investigação

O promotor Marcus Tulio Nicolino afirmou nesta quarta que acompanhará as investigações. Ele pedirá cópias dos boletins de ocorrência envolvendo os três casos de confronto entre supostos criminosos e os policiais civis e militares. “Vou averiguar se existe alguma relação ou não entre os casos. É preciso apurar se é alguma retaliação. Neste momento, não podemos afirmar nada”, deixou claro.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
33 comentários
  • Will
    25/01/2016 13:48:51
    Agora o bandido é bonzinho. sei qual curso de administração iria fazer... Matou um pastor, um policial e agora é bom. que muito é esse?!!! É a banana comendo o macaco. 105
  • augusto
    25/01/2016 12:48:58
    o menino patrick agora é um ex-detento, ex-assassino, ex-covarde, ex-vagabundo, ex-vivo ! diante disso fico até emocionado e nao consigo mais opinar !
  • Cezario
    24/01/2016 17:48:01
    Esse marginal morreu tarde! Quantos Pais de família ele ainda precisava matar pra esse Jornalzinho não tratá-lo como vítima?
  • Luiz Geraldo Dias
    24/01/2016 12:56:44
    MAIS. EM RECENTES CAMPANHAS POLÍTICAS, O EX - JUIZ DE DIREITO, GANDINI, DIZ TER SIDO NASCIDO EM FAVELA, EM NÚCLEOS SOCIAIS DOS MAIS POBRES E SE TORNOU JUIZ DE DIREITO PELA FORÇA, PROFESSIA, SE BOM OU RUIM É A SOCIEDADE QUE AGORA O JULGA, MAS FOI JUIZ, CHEGOU A ISTO. ONDE ESTÁ A DESCULPA DE UM PSICOPATA PARA ASSASSINAR E O ESTADO NÃO TOMAR AS RÉDEAS E TORNÁ-LO PRESO, MEDIDA PROVISÓRIA, MÁXIMA, MANICÔMIO JUDICIÁRIO JÁ. AGORA MESMO OUVI QUE QUEREM DESENTERRAR O ANJO JOAQUIM PARA SALVAR O ASSASSINO, SEU PADASTRO E MADASTRA. nÃO É O FIM DE TUDO! claro que não v ão encontrar mais nada nas vísceras desta criança anjo.....ME AJUDEM AQUI, PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!
  • Luiz Geraldo Dias
    24/01/2016 11:37:13
    TEM MAIS. ESTÁ PREVISTO NA CONSTITUIÇÃO DO NOSSO PAÍS, NO CÓDIGO CIVIL, NAS LEIS ESPECIAIS, A RESPONSABILIDADE DO ESTADO PELA OMISSÃO. SE ESSE MONSTRO ENTROU E SAIU DA FUNDAÇÃO CASA 8 VEZES, PERGUNTO? FOI FEITO AO MENOS O QUE EXIGE A LEI O EXAME CRIMINOLÓGICO PARA COLOCÁ-LO DE VOLTA À SOCIEDADE? NÃO? MAIS UM QUESITO FORTÍSSIMO PARA A FAMÍLIA DO PASTOR, DO POLICIAL QUE NOS DEFENDIA DIA E NOITE, INGRESSAR COM AÇÃO JUDICIAL DE REPARAÇÃO DE DANOS, LUCROS CESSANTES PELA VIDA QUE TINHAM PELA FRENTE, TRABALHO, LUCROS CESSANTES, MORAIS, FAMÍLIA E ETC. AINDA NÃO ESTOU ADVOGANDO, MAS SE AS FAMÍLIAS QUISEREM AS ENCAMINHAREI PARA OS MELHORES ADVOGADOS E MUDO DE NOME SE NÃO FOREM INDENIZADOS AO MÁXIMO. CHEGA TAMBÉM DE OMISSÃO DE FAMÍLIAS VÍTIMAS, É PRECISO AÇÃO, ATITUDE, GRITAR SIM, CHAMAR A ATENÇÃO SOCIAL NACIONAL SIM, E MUDAR O RUMO DAS COISAS.
  • Luiz Geraldo Dias
    24/01/2016 11:27:00
    É INACREDITÁVEL UM DIRETOR DE UNIDADE DE MARGINAIS CHAMADOS "di menor", CHAMAR ESTE MONSTRO DE 20 ANOS DE GAROTO E HÁ UM ANO, DEFENDEU PARA O JUIZ A LIBERDADE DESTE MONSTRO. DEVERIA TER LEVADO PARA A CASA DELE. OITO CRIMES DESTE MONSTRO, ROUBOS, TRÁFICOS, CERTAMENTE DAQUELES ROUBOS E ELE SÓ ANDAVA ARMADO, METENDO O CANO NA BOCA, NA CABEÇA DE VÍTIMAS. E SENDO CHAMADO DE GAROTO???? ALIÁS, RECENTEMENTE FUNCIONÁRIOS DA FUNDAÇÃO SÃO PAULO, DISSERAM EM DEPOIMENTOS E PELA MÍDIA QUE ESSES RELATÓRIOS E PARECERES SÃO FRAUDADOS SOBRE ESSES MARGINAIS PARA DELES SE LIVRAR. ESSE MONSTRO QUE MATOU O POLICIAL, MEU AMIGO, MATOU O PASTOR, FORA OUTROS CRIMES QUE DESCONHECEMOS, DEVERIA AINDA DE NOVO, MERECER A REPULSA DO JUIZ E NEGATIVA DA SUA SAÍDA PARA AS RUAS E SUBMETÊ-LO À MEDIDA DE SEGURANÇA MÁXIMA POR TEMPO INDETERMINADO. COMO PODE A SOCIEDADE DE BEM VIVER COM ESSES MONSTROS, PSICOPATAS E LIVRES NA SOCIEDADE??? É HORA DO M. PÚBLICO, DO PODER JUDICIÁRIO, REVER UM A UM ESSES CASOS GRAVES, ESPECIALMENTE DE MORTES POR ESSES MARGINAIS CHAMADOS DI MENORES, E AVALIAR UM A UM E PEDIR NOVOS LAUDOS SOBRE OS FORMULADOS PELA FUNDAÇÃO CASA. O CARA PODE VOTAR AOS 16 ANOS, PODE CASAR-SE, EMANCIPAR-SE, COMPRAR O PAÍS OU VENDER A ALMA E RESPONDER COMO di menor???? MATA UM, UMA FAMÍLIA QUE VAI JUNTO E SÓ TRÊS ANOS??? ALIÁS, PELA MORTE DO PASTOR, QUANTO TEMPO ELE FICOU PRESO OU chamado, internadinho para a escola do crime???? VIVEMOS EM UM ESTADO DE DIREITO, DE DEMOCRACIA, DE COMPROMETIMENTO DE TODAS AS INSTITUIÇÕES, PODERES, ÓRGÃOS E SOCIEDADE E PASSOU DA HORA DE SE EXIGIR POSTURA SOBRE ESSES MONSTROS PSICOPATAS. FOI PARA O CRIME PORQUE QUIS, NÃO ME VEM OS PLANTONISTAS SOCIAIS E DOS DIREITOS DE MARGINAIS SE POSICIONAR EM FAVOR DESTES MONSTROS NÃO. ALIÁS, O QUE ELES FIZERAM OU ESTÃO FAZENDO PARA MUDAR O QUADRO???? HIPÓCRITAS! NADA. BOTEM A MÃO NA MASSA E REVEJAM SEUS POSICIONAMENTOS MEDÍOCRES EM DESENCONTRO COM O MUNDO DO DIREITO, DAS LEIS, DA CIVILIZAÇÃO MODERNA. FALO SIM, PELA EXPERIÊNCIA COMO CIDADÃO QUE VEJO ESTE TIPO DE VIOLÊNCIA A CADA SEGUNDO AQUI, NO PAÍS E COMO DELEGADO DE POLÍCIA SIM. ISTO TEM QUE MUDAR E NOSSA SOCIEDADE NÃO PODE CONTINUAR A BANCAR ESSE PREÇO DO DESAPREÇO DO ESTADO, DO PAÍS, PELAS NOSSAS VIDAS.
  • Lucas
    24/01/2016 08:57:54
    O titulo da reportagem devia ser: "Verme morto pela PM tinha deixado a Fundação Casa havia um mês". Esse Jornal a cidade ta cada vez pior com essas porcarias de reportagem.
  • Andre
    23/01/2016 10:09:01
    Bandido bom e bandido morto....
  • Tatiane
    23/01/2016 08:07:53
    Como pode um jornal do porte do jornal A CIDADE contratar um "estagiário cru" pra fazer um lixo de redação igual a essa defendendo coisa errada??? Tá pra fechar o jornal? Vcs tão precisando vender as custas de baixaria??? Contrata o Leo Oliveira e vão chamar o Tony na mesa branca. Nem o finado Toni tinha matéria ruim assim mesmo o seu jornal sendo sanguinolento. Era a favor da verdade, outro igual a ele jamais
  • Marcelo
    22/01/2016 21:44:12
    Cortando o mal pela raiz.
  • Vitor
    22/01/2016 21:29:25
    nesse caso ai dou toda a razao pra policia, porque vcs não entrevistam os parentes da pessoas que o patrik matou/;
  • Ditri
    22/01/2016 20:54:39
    Menos um lixo na terra ! Matou polícia, tem que morrer. Parabéns à Polícia Militar.
  • Anderson
    22/01/2016 19:12:21
    E o policial que foi morto por esse jovem não merecia uma matéria??? Ehhh Brasil como sempre defendendo o lado errado !!!! Que vergonha!!! Total inversão de valores!!!! Péssima matéria!!!!
  • Bruno
    22/01/2016 17:00:10
    Foi tarde!
  • Fabiano de Souza
    22/01/2016 14:27:09
    Só tenho uma coisa a dizer, vcs da imprensa é uma vergonha para a população brasileira.
  • pAULO
    22/01/2016 14:01:40
    Resumindo, o Patrick é um coitado, uma vítima da sociedade. Só que tem um detalhe, roubava e matava. Deveria ficar solto?
  • Cassio Bianch
    22/01/2016 13:49:11
    Tadinho, que o capeta o tenha !
  • sueli silva
    22/01/2016 12:21:05
    Quem escreveu isso esta sem tendencioso..Formadores de opinião. O publico inteligente não se abala. Digo mais, somos muitos.
  • marcos B
    22/01/2016 11:48:44
    A coisa é diferente ai, ele matou um Pastor, outra se ficou sensibilizada com a historia de vida desse Jovem rapaz, adotasse ele para sua regeneração na vida social..me poupe
  • Fernando
    22/01/2016 10:57:52
    Viva a polícia! Enquanto ficarmos passando a mão na cabeça desse tipo de gente, chamando de coitadinho, vira bandido mesmo. Aqui onde moro há uma série de haitianos que vieram tentar a vida. São tão pobres e negros que o cidadão acima, mas são extremamente educados e civilizados. Não é cor, classe social. É safadeza mesmo. Chumbo nesse tipo de sujeito!!
  • fabio oliveira
    22/01/2016 10:10:25
    Muito bonita essa história de vida de um criminoso,homicida,latrocida,vitima da sociedade,coitadinho ....venderam bastante jornal? Tiveram bom retorno?Se tivessem falado sobre a visa do Pm morto por esse "coitadinho" ,entrevistado sua família o retorno não seria satisfatório né?Parabéns vcs estão contribuindo sobremaneira para o fundo do poço desse país,porém acho que já chegamos lá.......
  • Flavio
    22/01/2016 09:46:27
    Faz anos que vejo reportagens desse tipo que trata o marginal como se ele fosse um coitadinho no final, vivemos em um país de faz de conta, faz de conta que existe segurança pública, faz de conta que existe governo sério e comprometido com o bem estar de todos, que existe infraestrutura, saúde, educação... Nesse ínterim nasce esses filhos do capeta, "pobres crianças" que tiveram uma vida dura, que não tiveram cabeça para escolher entre o bem e o mal e o caminho escolhido por ele foi esse, e nesse meio fica o cidadão honesto e trabalhador, que é chamado pela bandidagem de "trouxas", sendo extorquido pelo governo e achacado por esse tipo de marginal. Senhores, esse tipo de gente não é "coitadinha", esse camarada que morreu era um perdedor, frustrado, incompetente para conseguir uma vida melhor, foi burro ao escolher o caminho a seguir e preguiçoso o suficiente para não se esforçar para sair da miséria, e como bom preguiçoso que era resolveu pegar um "atalho" e teve seu fim, ele não era um "coitadinho", era um predador. Foi tarde, menos um parasita para os trabalhadores do Brasil sustentar, menos um assassino nas ruas.
  • Geraldo
    22/01/2016 08:39:06
    Só falta esse jornal dizer que o rapaz era santo....meus pesames a familia do policial morto
  • CLAUDIA
    22/01/2016 08:03:15
    ah, pelamor... agora o bandido é um coitado, vítima da sociedade , um sem oportunidades? quantas e quantas pessoas nasceram miseráveis, na mesma condição de abandono dele e não enredaram no mundo do crime. pra mim ser criminoso é escolha, e quem escolhe essa vida tem que saber os riscos que corre. por favor, quem merece o respeito são os policiais que trabalham sem condições, sem equipamentos e com um salário ridículo, esses sim merecem idolatria.
  • Ivan
    22/01/2016 07:29:43
    Difícil solução, é verdade, mas precisamos vigiar o que realmente tem valor. Um pobre jovem "vítima da sociedade", ou a vida de milhares de trabalhadores que se sacrificam no dia a dia para ter uma vida melhor e são na verdade "a sociedade vítima". Os defensores da paz e a imprensa deveriam criar programas sociais para esses "pobres jovens, bonzinhos, quase um pastor, que roubam para comer, etc". Levem eles para casa! Façam a sua parte! Porque é que não vemos reportagens sobre o verdadeiro jovem que acorda às cinco da manhã, come um café com pão, vai a pé para a escola, rala o dia todo estudando e passa na faculdade? Reportagem sobre os pais que tem dois ou três empregos, que buscam uma vida digna, que tem religião no coração e que morrem de medo desse "pobre jovem" do início da reportagem? Vamos parar de hipocrisia! Vocês alimentam o crime também! Escolham de que lado querem estar. Espero que escolham o lado das verdadeiras pessoas de bem, que trabalham, que estudam, que não são ameaça à sociedade.
  • Jacqueline
    21/01/2016 19:56:52
    Foi tarde
  • Leonardo
    21/01/2016 19:43:35
    Parabéns pela reportagem. Não me lembro de ter lido na imprensa local algo tão bem contextualizado. Os comentários de ódio de praxe acima são provas disso.
  • Roberto Catossi
    21/01/2016 17:03:30
    Há no Brasil uma inversão de valores latente por essa imprensa marrom. Quem ganha com esta idolatria sem freios com marginais contumazes. A PM é um muro que protege a sociedade que está, rotineiramente, sendo bombardeada por esta imprensa e pessoas bolivarianas. Este Julio sabe o que de segurança a atuação e ação policial para afirmar que houve "justiça com as próprias mãos" praticada pela Polícia. o promotor que vá acompanhar crimes políticos de deixe de ser oportunista para ficar nos holofotes à custa da PM (como sempre). A imprensa que realmente cumpra seu papel e não fique glorificando o errado. Não é isto que a população de bem quer (basta ler os comentários). Basta de imbecilidade.
  • talita
    21/01/2016 16:40:49
    Eu acho é pouco, foi é tarde. Menos um assassino no mundo. Essa é a justiça que nunca falha, a lei do retorno aqui se faz aqui se paga teve a morte que merecia, qts famílias sofreram por causa desse babaca.... Uma salva de Palmas para esse policial que teve a coragem e honrou a sociedade, fazendo uma bela defesa.
  • ESDRAS
    21/01/2016 15:32:14
    Escrever sobre criminalidade é bem mais fácil que falar sobre politicas publicas então gente agora cobrem os governantes !!!! vamos fazer reportagem sobre este assunto !!!! verifique o porque não temos politica voltadas pra este assunto .
  • Fabrício
    21/01/2016 14:43:41
    Não é a toa que o crime esta tomando conta do nosso país, a imprensa IDOLATRA os criminosos. "Jovem morto pela PM" Pelo amor de Deus!!! Nem vou comentar o homicídio do Policial do qual ele é "suspeito", mas e o latrocínio do pastor?!?!? E os demais crimes já cometidos??? Me poupem!!!
  • rita Rodrigues
    21/01/2016 13:53:50
    E so pegar as estatísticas,quantos policiais morreram nas maos de bandidos este ano lutando pra defender a sociedade e pagando com a vida,e so ver quantos inocentes morreram so neste começo de ano,trabalhadores que ralam pra ganhar o pão de cada dia e o meliante vem pra tirar,ao invés de procurar emprego,e não me venham com este papo de vitima da sociedade,quando a pessoa nasce com a índole boa,ela cata papelão,rala,estuda e se da bem na vida,,eu e meus irmãos,fomos abusados,espancados,sem pai nem mae,vivemos nas maos dos outros,apanhando,sofrendo,trabalhando pra comer,e nenhum virou bandido,exemplo:passou no jornal nacional,jovem engraxava sapatos,tinha sonho de ser advogado,acabou de receber a carteira da OAB,e lamentável,mas e isso ai
  • juliano
    21/01/2016 12:02:20
    COITADINHO DO ASSASSINO.

Mais do ACidade ON