Investigados na Operação Sevandija amargam reclusão e bolso vazio

Para não serem hostilizados, a maioria evita exposição pública e opta apenas por reuniões com a família

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Wesley Alcântara e Monize Zampieri

Seis meses após a Operação Sevandija, os investigados ainda sentem os abalos da bomba detonada pela

Polícia Federal e Ministério Público Estadual: estão reclusos, envergonhados, de bolso vazio e dependendo financeiramente de familiares. Para não serem hostilizados, a maioria evita exposição pública e opta apenas

por reuniões com a família. Antes assíduos das redes sociais, muitos chegaram até a excluir suas páginas.

LEIA TAMBÉM:
Saiba como estão os nove ex-vereadores investigados na Sevandija

F.L.Piton / A CIDADEDárcy perdeu foro privilegiado e responderá a processo em primeira instância, no Fórum de Ribeirão (foto: F.L.Piton / A CIDADE - 23.nov.2011)

Sem amigos e sem empregada, Dárcy Vera faz a faxina de casa
Abandonada pela maioria esmagadora dos amigos, a ex-prefeita Dárcy Vera vive reclusa em sua residência de alto padrão no bairro Ribeirânia desde que deixou a Penitenciária Feminina de Tremembé, há quase três meses. Sem empregados, ela mesma faz a faxina com a ajuda da mãe e da irmã. Ela não sai de casa para não ser hostilizada na rua – a exceção é a obrigação de se apresentar no Fórum a cada 15 dias e um curso de pós-graduação na USP, em São Paulo, nos finais de semana. Para isso, ela precisa apresentar à Justiça as passagens de ida e de volta e o atestado de frequência do curso. É de lá que vem o aconchego de antigas amigas de faculdade. Apesar de sua vida política ter naufragado, Dárcy segue filiada ao PSD. A advogada Maria Cláudia Seixas disse apenas que Dárcy “está obedecendo à risca todas as determinações judiciais” e não respondeu sobre a saúde da ex prefeita, que sofre de problemas renais.

Weber Sian / A Cidade
Desesperado: Marco Antônio dos Santos tentou anular o processo alegando que investigação é fruto de denúncia anônima (foto: Weber Sian / A CIDADE - 02.dez.2016)

 

Marco Antonio tenta retomar a vida e a profissão de advogado
Com a inscrição na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) ativa, o ex-secretário de Administração e ex-superintendente do Daerp Marco Antonio dos Santos, considerado o homem forte nos dois mandatos da ex-prefeita Dárcy Vera (PSD), tenta reconstruir a vida. A Cidade apurou que ele está oferecendo serviços advocatícios para amigos e tenta captar clientes fazendo propaganda por e-mail. No entanto, nenhuma ação teria sido distribuída, conforme consulta no site do Tribunal de Justiça. Após cair na Sevandija e ser preso em duas ocasiões, o ex-secretário quase não é visto na cidade e deixou, inclusive, de fazer as caminhadas diárias no Parque Curupira, que fica a poucos metros do condomínio de luxo onde mora. Da política, o ex-secretário demonstra querer distância: se desfiliou do PSD, partido que comandava em Ribeirão, e foi excluído da direção da Executiva estadual.

Weber Sian / A Cidade
Layr Luchesi Jr. é visto deixando o Fórum de Ribeirão Preto na tarde desta sexta-feira (7) (Foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Luchesi vive com salário da mulher
Antes da Operação Sevandija, o ex-secretário da Casa Civil Layr Luchesi Junior era um frequentador assíduo de bailes promovidos pelo Ipanema Clube e de camarotes de shows organizados em Ribeirão. Hoje, o segundo homem forte do governo Dárcy Vera (PSD) vive recluso em casa e depende financeiramente da mulher. O advogado dele, Fábio Boleta, conta que o cliente também deixou de frequentar o curso de direito no ano passado. “Como ele não tem como pagar a mensalidade, já que seus bens estão bloqueados pela Justiça, foi obrigado a trancar a matrícula”, afirmou. Luchesi, que antes de ocupar cargo público era bancário e jornalista, ainda não conseguiu emprego. “Ele tem evitado sair, frequentar restaurantes, até mesmo para preservar a própria intimidade e da família”, disse o advogado. No Ipanema, onde Luchesi é diretor social, funcionários afirmam que ele desapareceu. No entanto, o ex-secretário mantém presença ativa nas redes sociais, já que compartilha postagens de familiares e também do deputado federal Baleia Rossi (PMDB). Luchesi mantém sua filiação ao PSD.

Weber Sian / A Cidade
Maria Zuely habeas corpus negado e segue presa (foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Deprimida, Zuely completa três meses em tremembé
A advogada Maria Zuely Alves Librandi completou anteontem três meses na prisão e aguarda deprimida, segundo seu defensor, o julgamento do mérito do habeas corpus que pode libertá-la da Penitenciária Feminina de Tremembé. O julgamento deve ocorrer na próxima quinta-feira (9). Segundo o advogado José Carlos Bento, sua cliente cumpre todas as atividades de rotina da penitenciária. “Mas ela está bastante ansiosa para sair de Tremembé e retomar sua vida. Ela está bastante inconformada também com as mentiras propagadas. Ela é inocente”, diz. Bento afirmou que Zuely tem recebido constantemente visita de familiares na unidade prisional.

Weber Sian / A Cidade
Advogado Sandro Rovani seria o responsável por repassar as propinas de Zuely aos demais participantes do esquema ilícito (Foto: Weber Sian / A Cidade)

 

Sandro não deixa de tomar cafezinho no Centro
Apontado como o intermediador das propinas os honorários da advogada Maria Zuely Librandi, o advogado Sandro Rovani mantém sua rotina normal de trabalho. Segundo seu advogado de defesa, Julio Mossin, Sandro cumpre expediente em seu escritório de advocacia, localizado no Centro. Menos conhecido que os ex-secretários de Dárcy Vera, ele não sofre assédio ou hostilidade na rua. “Sandro continua com vida normal, mesmo com as restrições impostas pela  Justiça.” Sandro também é visto constantemente pelos conhecidos tomando café em uma cafeteria no Calçadão e almoçando em um restaurante da rua São Sebastião. Para conhecidos, quando é questionado sobre a Sevandija, ele afirma que conseguirá provar sua inocência.

Matheus Urenha / A CIDADE - 06.set.2016
Wagner Rodrigues (à esquerda) admitiu ter recebido R$ 100 mil das mãos de Sandro Rovani (foto: Matheus Urenha / A CIDADE - 06.set.2016)

 

Ex-sindicalista administra empresa
Principal delator do esquema de corrupção dos honorários do acordo das perdas saláriais, o ex-sindicalista Wagner Rodrigues conta que administra empresa própria de comunicação. Segundo Wagner, sua empresa presta mais serviços de comunicação sindical. “Moro em Ribeirão. Tenho endereço fixo, mas tenho prestado serviços para clientes de Brasília”, afirmou. Wagner, que era servidor licenciado da prefeitura, está afastado de suas funções pela Justiça.

Reprodução EPTV
Ex-servidora da Coderp, Maria Lucia Pandolfo (foto:Reprodução EPTV)

 

Pandolfo excluiu fotos do Facebook
Ex-servidora da Coderp, Maria Lucia Pandolfo, a Malu, não é vista na cidade nem pelos amigos. Em seu perfil no Facebook, ela excluiu todas as fotos. Amigos contam que, antes da Sevandija e de ela ser presa, Maria Lucia fazia constatemente postagens e, inclusive, compartilhava mensagens de políticos ligados ao PMDB.

Weber Sian / A Cidade
O ex-superintendente da Coderp Davi Cury (foto:weber sian / A CIDADE - 07.out.2016)

 

Davi trabalha nas empresas da família
Ex-superintendente da Coderp, Davi Cury afirma que sua rotina pessoal não mudou, mesmo depois de ter permanecido 24 dias preso e diante da repercussão nacional da Sevandija. “Estou trabalhando normalmente nas empresas da minha família. Como eu não era uma figura muito conhecida, as pessoas não me reconhecem. Se elas reconhecem, não falam nada”, afirmou o empresário. Segundo Davi, o nome dele foi jogado irresponsavelmente no mesmo balaio de pessoas ligadas ao esquema de corrupção na prefeitura. “Vou provar minha inocência”, diz. David deixou de fazer postagens nas redes sociais, mas mantém sua filiação ao PMDB.

F.L. Piton / A Cidade
Ângelo Invernizzi é apontado como o responsável pelos apadrinhamentos para interesses pessoais e de vereadores (foto: F.L.Piton / A CIDADE - 15.dez.2015)

 

Após ser preso, Ângelo evita exposição
Após ser preso pela Operação Sevandija, o ex-secretário da Educação Ângelo Invernizzi Lopes optou por levar uma vida com menos exposição pública. Segundo o advogado Clodoaldo Armando Nogara, o ex-secretário tem frequentado apenas encontros familiares e não tem participado de eventos públicos. “Ele está trabalhando na empresa da mulher e desempenha serviços de contabilidade. Apesar de ir à empresa normalmente, o ex-secretário mantém um escritório na própria residência, onde fica a maior parte do tempo”, disse o defensor. Clodoaldo relatou que, diferente do ex-colegas de trabalho, Angelo não está deprimido. “Está muito bem. Tranquilo”, ressaltou. O ex-secretário mantém duas páginas no Facebook. No entanto, sua última postagem foi feita no dia 28 de agosto do ano passado, dois dias antes de a Sevandija ser deflagrada. Mas tem tem mantido contato com alguns amigos pelo Facebook. Apesar de declarar a jornalistas que não gostava de participar de agenda política, o ex-secretário mantém sua filiação ao PSD desde abril de 2012.

 


6 Comentário(s)

Comentário

eduardo

Publicado:

a justiça tarda mas não falha. todos conhecemos este ditado popular. eu aguardo ancioso para que os culpados sejam condenados e que todos devolvam aos cofres, o dinheiro desviado.

Comentário

m

Publicado:

sò posso relata uma coisa vergonha,

Comentário

Antonio Oliveira

Publicado:

BOLSO VAZIO ?

Comentário

Marta

Publicado:

Para não serem hostilizados, a maioria evita exposição pública e opta apenas por reuniões com a família......Mandem devolver o que nos foi roubado!

Comentário

Divaldo Antonio de Oliveira

Publicado:

Fico penalizado, quantos inocentes injustiçados. Colhem atual e merecidamente, o fruto do que plantaram. A lamentar apenas o fato da Zuely ser a única encarcerada, os outros soltos, levando vida de pobres de bolso, já que de espírito e honradez, sempre foram. Quanto a ex-prefeita é ótimo saber que esta voltando a antiga atividade de diarista, ainda que seu habitat. Talvez seja um treino para que possa exercer, brevemente, a função em Tremembé.

Comentário

amarilia cozac

Publicado:

O Jornal A Cidade poderia fazer 1 reportagem com o SR Fernando Chiarelli- pivô disso tudo.Com ele vive? será q se esconde tambem? ou anda as ruas onde as pessoas o procuram pra selfie?obr.