Campos Elíseos lidera ranking de veículos roubados em Ribeirão

Um em cada dez veículos levados por criminosos estava no bairro, segundo mapeamento inédito; veja o mapa interativo

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Cristiano Pavini
Matheus Urenha / A Cidade
Márcia teve o carro roubado quando saía da garagem, em plena luz do dia (Foto: Matheus Urenha/ A Cidade)

 

“Perdeu! Vou levar o carro”. O susto em ver o homem armado em plena manhã de sábado de aleluia, às 9h do dia 15 de abril deste ano, fez a gerente de licitações Márcia Sgobbi, 52 anos, esquecer o que veio depois. Lembra apenas que entregou a chave do veículo, que estava estacionado na rua enquanto fechava o portão da garagem de casa, para o criminoso.

Moradora dos Campos Elíseos, Márcia está no olho do furacão: o bairro foi o campeão de ocorrências em roubo de veículos (quando há violência ou ameaça à vítima), em 2017.

SEGURANÇA: CONFIRA 8 DICAS PARA DIFICULTAR ROUBOS DE VEÍCULOS

LEIA MAIS
Região de hospital e universidade, avenida Leão XIII lidera furtos

Com base em dados oficiais, disponibilizados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) em seu Portal da Transparência, A Cidade realizou mapeamento inédito com 550 veículos roubados entre janeiro e setembro deste ano, uma média de dois ao dia. Um em cada dez foi levado dos Campos Elíseos.

A avenida Brasil é a via mais perigosa: 18 veículos levados, sendo 90% das ocorrências durante a madrugada ou à noite. Os pontos de prostituição do local são facilitadores de roubos, pelo fato de os motoristas pararem os veículos e ficarem desatentos, segundo policiais militares.

O segundo bairro mais perigoso é o Jardim Paulista, zona Leste, com 22 carros levados. Na rua Orlândia, por exemplo, duas vítimas foram assaltadas à noite, em 10 de abril e 3 de julho, por um homem armado e a pé. Apenas quatro quadras separam os locais dos crimes.

Já no interior do bairro City Ribeirão - onde a população se organizou para criar vigilância comunitária - nenhum veículo foi roubado nos primeiros sete meses do ano.

Corrida

Taxistas e motoristas do Uber são vítimas recorrentes de criminosos - que nem sempre buscam veículos de luxo ou novos.Na madrugada de 29 de maio, um motorista de táxi de 68 anos foi assaltado quando levava duas pessoas que pediram uma corrida até a UBDS Central.

Na rua México, eles anunciaram o roubo e levaram o veículo - um Fiat Prêmio ano 1998 -, celular, documentos pessoais e R$ 150.

Vigia ‘sob demanda’ por segurança

Passados sete meses, Márcia não conseguiu se recuperar psicologicamente do assalto. O carro até hoje não foi localizado. No dia seguinte ao crime, mudou completamente a rotina. Agora, antes de abrir o portão para sair ou entrar com o veículo ela pede para alguém vistoriar - sua vizinha é acionada quase diariamente.

Ela também paga a um vigia de rua particular, que faz ronda em um bairro próximo ao seu, para socorrê-la à noite. “Ligo para ele ficar em frente de casa quando vou sair e voltar de carro”, diz.

Também parou de deixar o carro em vias públicas - paga sempre estacionamentos particulares. Além disso, acompanha sempre, pelo celular, as câmeras de monitoramento que instalou. Mesmo assim, não está segura. “É necessário mais policiamento”, pede.

Perfil

Policiais militares explicam que, nos roubos, os criminosos buscam veículos mais novos e mais caros do que nos furtos (veja mapa dos veículos furtados nas páginas 12 e 13). Três em cada quatro roubos ocorrem à noite ou na madrugada, quando a movimentação de veículos e pessoas é menor e a luminosidade é fraca. Já os furtos não têm predominância de período, e quase metade das vítimas não sabe em que horário o veículo foi levado.

Ocorrências de roubos de veículos

2013: 762
2014: 1.175
2015: 611
2016: 477
2017: 520

Modelos mais visados

Gol (VW): 25 carros roubados
HB20 (Hyundai): 16 carros roubados

Principais bairros

Campos Elíseos: 56 veículos
Jardim Paulista: 22 veículos
Área rural: 19 veículos
Jardim Mosteiro:16 veículos
Centro: 15 veículos

Principais ruas

Avenida Brasil (Campos Elíseos): 18 veículos
Via Norte: 11 Veículos
Avenida Costa e Silva: 10 veículos

Aplicativo

Lançado em 2014 pelo governo federal, o aplicativo Sinesp Cidadão, compatível com smartphones com os sistemas operacionais Android, Windows Phone e iOS, permite aos cidadãos saberem se um veículo foi alvo de roubo ou furto. Basta informar a placa que o sistema irá informar o modelo, cor e ano do veículo, avisando se há queixa de furto ou roubo dele. O aplicativo permite que a população auxilie a polícia, informando ao encontrar veículos alvo de criminosos. 


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.