'Vou provar minha inocência, se Deus quiser', diz Dárcy Vera

Ex-prefeita assumiu ter emprestado 120 mil de Zuely, mas negou ser propina e que teve 'vergonha' de dizer antes

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Cristiano Pavini
F.L.Piton / A Cidade - 29.nov.2012
Ex-prefeita Dárcy Vera (foto: F.L.Piton / A Cidade - 29.nov.2012)

 

Em cerca de 1h30 de depoimento na manhã desta terça-feira (5), a ex-prefeita Dárcy Vera atacou a delação premiada de Wagner Rodrigues e, com a voz embargada, disse que vai provar a inocência.

Com o cabelo mais longo que o característico, três palmos abaixo do ombro, vestindo blusa bege e chinelos, ela entrou na sala de audiência da 4 Vara Criminal às 9h25, sem algemas, dando "bom dia a todos", com a voz firme.

Ela foi escoltada por dois policiais militares e uma agente penitenciária, que segurava uma algema nas mãos. O juiz Lúcio Ferreira perguntou sua idade, e ela se negou a responder.

VEJA FOTOS DA CHEGADA DE DÁRCY AO FÓRUM  

"Com todo o respeito ao senhor e aos promotores, por orientação dos meus advogados, só vou responder aos questionamentos da minha defesa" disse Dárcy.

Os promotores do Gaeco fizeram cerca de 55 perguntas, abordando o patrimônio, interceptações telefônicas e fatos relacionados à denúncia de corrupção, que ela ouviu em silêncio por dez minutos.

"São essas as perguntas que a acusação e a sociedade de Ribeirão Preto gostariam que fossem respondidas", disse o promotor Frederico de Camargo.

Em seguida, passou a responder aos questionamentos de sua advogada, Cláudia Seixas. Dárcy assumiu ter emprestado cerca de R$ 120 mil de Zuely, mas negou se tratar de propina.

Disse que estava com as finanças desorganizadas, e a advogada se ofereceu para ajudar.

"Não falei antes pois tinha vergonha. Era muito constrangedor para mim. Iria pagar quando acabasse o meu mandato", disse Dárcy.

Negou, também, ter recebido os R$ 7 milhões de propina que o MP denuncia.

"Se eu tivesse todo esse dinheiro, iria de ônibus todo final de semana para São Paulo fazer meu curso de pós? Os senhores do Gaeco já não teriam descoberto algum patrimônio meu? Com tanta tecnologia e não encontraram nada!", afirmou, exaltada.

Ela passou, então, a atacar a delação premiada de Wagner.

"Qualquer pessoa pode pegar um papel e dizer que x ou y recebeu propina. Estou presa, longe das minhas filhas e da minha família, por uma delação mentirosa. E o delator está solto", afirmou.

Ela quase chorou quando lembrou sua trajetória pessoal (ressaltou que trabalhou como catadora de algodão e vendedora de panela) e profissional, e quando foi insultada no Fórum ano passado, assim que deixou a prisão. Disse, inclusive, que levou um chute nas costas dentro do Judiciário.

"Eu sobrevivi a denúncia mentirosa das casas da Cohab, sobrevivi a uma doença que me deixou em coma e quase me matou, e agora estou aqui na frente do senhor com uma delação mentirosa. Mas vou provar que sou inocente, se Deus quiser", disse, olhando para o juiz Lúcio.

O magistrado, porém, lamentou que Dárcy não tenha respondido às suas perguntas e do MP. "Desse jeito nós não conseguimos chegar a uma verdade. Apenas a uma meia verdade", criticou o magistrado.

Mais informações ao longo do dia no ACidade ON.
 


2 Comentário(s)

Comentário

Divaldo Antonio de Oliveira

Publicado:

Deus não tem nada a ver com o que você fez farsante.

Comentário

adjair

Publicado:

nao é so o Wagner que esta solto tem também um la em miami onde sera que esta a grana . podem perguntar para chaim do coc ele também sabe de alguma coisa la de miami veja la