Vacinação

Covid: Estado de São Paulo tem falta de vacinas da AstraZeneca

Estado cobra o Ministério da Saúde, que diz que São Paulo usou vacinas para a segunda dose para a aplicação da primeira

| ACidadeON/Ribeirao -

 

Vacina Oxford/AstraZeneca (Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF)

O Governo de São Paulo informou que estão em falta no estado doses da vacina AstraZeneca para a segunda dose da imunização. A Secretaria de Saúde estadual está cobrando do Ministério da Saúde o envio de novas doses. No entanto, segundo a pasta, as doses já foram enviadas, mas o Estado as usou como primeira dose, em desacordo com as recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI). 
 
Na cidade de São Paulo, na manhã desta sexta-feira, 10 de setembro, a população que precisava da segunda dose da AstraZeneca não conseguiu a aplicação. "O Ministério da Saúde do Governo Federal deixou de enviar cerca de 1 milhão de vacinas de dose 2 da AstraZeneca para São Paulo, provocando um verdadeiro apagão de vacinas nos 645 municípios do estado. O prazo de aplicação destas doses começou a vencer no dia 4 de setembro", disse o governo do estado, em nota.

O governo do estado acrescentou que, em eventual indisponibilidade de mais remessas da AstraZeneca, solicita o envio imediato de doses da Pfizer para suprir a demanda e concluir os esquemas de vacinação em conformidade com a solução de intercambialidade indicada pelo governo federal.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), no entanto, a pasta não está devendo lotes da segunda dose de vacina covid-19 da AstraZeneca ao estado de São Paulo. "Até o momento foram entregues ao estado 12,4 milhões de dose 1 e 9,2 milhões de dose 2 da AstraZeneca. As 2,8 milhões de doses não foram enviadas porque o prazo de intervalo entre a primeira e segunda dose só se dará no final do mês", destacou o ministério, em nota.

Segundo o Ministério da Saúde, dados inseridos por São Paulo no LocalizaSUS mostram que o estado utilizou como primeira dose vacinas destinadas à segunda dose. "O estado aplicou 13,99 milhões de dose 1 e 6,67 milhões de dose 2. As alterações nas recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) acarretam na falta de doses para completar o esquema vacinal na população brasileira", acrescentou o ministério.

Mais notícias


Publicidade