Aguarde...

cotidiano

Essas crianças sabem tudo sobre os escorpiões

Turma de uma escola infantil de Ribeirão Preto dá dicas de prevenção e cuidados básicos para evitar acidentes

| ACidadeON/Ribeirao

Crianças receberam dicas de cuidado de prevenção (Foto: Weber Sian/ACidade ON)

Entre as aulas pedagógicas, de judô e as sagradas horas no parquinho de diversão, os mais de 140 alunos do colégio Pique e Aprende, localizado na zona Sul de Ribeirão Preto, deram show de responsabilidade e prevenção contra um "bichinho" peçonhento e "muito mal".  

"Pode ser preto ou amarelinho, mas os dois têm uma agulha na ponta e podem picar bem aqui", diz a falante Bianca Ravazzio, de apenas 4 anos, ao apontar para o pé.  

A explicação foi obtida pelo ACidade ON, na última sexta-feira (29), depois que ela e os demais amigos da pré-escola, de 3 a 6 anos, aprenderam tudo sobre escorpiões - de dicas aos cuidados básicos no dia a dia. E no melhor momento: de janeiro a outubro deste ano, a cidade registrou mais casos que a soma dos balanços de 2017 e 2018. Veja os dados abaixo.  

"Tem que olhar o sapato antes de colocar e sacudir pra ver se não tem nada perigoso dentro. Ele também fica escondido na roupa, nos brinquedos e na grama", conta Sofia da Silva Lima, 6.  



A iniciativa de incluir o tema na rotina das crianças partiu da enfermeira responsável pela escola, Ariane Antolini, com o auxílio da Vigilância Sanitária, por conta de algumas reclamações dos pais e comentários sem muito conhecimento das crianças.  

"Nós mostramos de forma lúdica tudo o que eles precisam saber para ficarem protegidos e evitarem acidentes domésticos. O material abordava desde o surgimento do escorpião até onde podem ser encontrados e o que fazer se acontecer [...]. O resultado foi muito bacana, com várias perguntas e mudanças de hábitos em casa. O objetivo foi atingido", comemora a enfermeira.  


 
Agora, a expectativa da Secretaria Municipal da Saúde é conter os dados do município e diminuir o número de lesões, principalmente nas regiões Norte e Oeste.  

De acordo com dados divulgados pela pasta também na última sexta-feira (29), 1.183 acidentes com escorpiões foram registrados nos 10 primeiros meses deste ano (janeiro a outubro), em cinco bairros da cidade. A média é de mais de 118 ocorrências a cada mês ou pouco mais de três por dia.  

Destes, 298 ocorreram no Simioni, 240 no Sumarezinho, 216 na Vila Virgínia, 185 em regiões mistas, 127 no Castelo Branco e 117 no Centro.  

O balanço mais atualizado é superior ao total de casos computados entre 2017 e 2018, quando 196 e 885 acidentes foram comunicados à pasta, respectivamente.   
 
Por meio de nota, ACidade ON questionou o Setor de Epidemiologias de Ribeirão Preto sobre o aumento dos dados e possíveis causas para tanto, mas até a publicação desta matéria, não obteve retorno.  

O Ministério da Saúde, no entanto, afirma que animais peçonhentos, como os escorpiões, além de aranhas e lagartas, "estão cada vez mais presentes no meio urbano devido ao crescimento acelerado dos grandes centros. Por isso, é preciso que toda a população saiba quais medidas adotar para evitar acidentes e mortes por envenenamento". Um bom exemplo são as crianças do colégio Pique e Aprende.  

Ainda de acordo com o órgão, o período do verão (entre dezembro e março) exige maior cuidado em relação a esses casos, "pois o clima úmido e quente é ideal para o aparecimento destes animais, que se abrigam em esgotos e entulhos".  

O que fazer em caso de acidente?  

A recomendação do MS é procurar um hospital imediatamente e, se possível, levar o animal para avaliação do quadro. A medida é necessária porque cada espécie representa uma gravidade e possível tratamento. O primeiro deles, porém, sempre será o soro.  

O antiveneno está disponível nos hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde). "Limpar o local da picada com água e sabão pode ser uma medida auxiliar, desde que não atrase a ida ao serviço de saúde", finaliza o boletim informativo do Ministério da Saúde. Leia mais aqui.

Confira os dados de acidentes com escorpião em Ribeirão Preto 

2019  

Castelo Branco: 127
Simioni: 298
Vila Virgínia: 216
Central: 117
Sumarezinho: 240
Outros: 185  

Total: 1.183  

2018  

Castelo Branco: 77
Simioni: 244
Vila Virgínia: 182
Central: 65
Sumarezinho: 232
Outros: 85  

Total: 885  

2017  

Castelo Branco: 13
Simioni: 48
Vila Virgínia: 21
Central: 29
Sumarezinho: 35
Outros: 50  

Total: 196

Mais do ACidade ON