Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

docon

Novos números do mercado imobiliário

O mercado imobiliário é um dos setores da economia que representa uma das áreas mais importantes que recebem investimentos

| ACidadeON/Ribeirao

O professor Vicente Golfeto (Foto: Weber Sian / ACidade ON)
No dia 19 de setembro, no blog, publicamos um quadro que mostra (no período de janeiro a agosto dos exercícios econômicos de 2012 a 2019) a quantidade e o valor monetário dos imóveis transacionados através do processo de compra-e-venda. Os números, como anotamos naquele comentário, foram obtidos no primeiro e no segundo cartórios de registro de imóveis da comarca de Ribeirão Preto. Agora, publicamos o mesmo quadro apenas focando o período de janeiro a setembro, o que representou apenas a adição da quantidade e do valor das transações das escrituras lavradas e registradas no mês de setembro. 

 

O mercado imobiliário é um dos setores da economia que representa uma das áreas mais importantes que recebem investimentos. A vitrine da realidade, de desenvolvimento ou de crise, é o mercado de locação. Mas o mercado de imóveis, visto pela ótica das transações efetuadas pelo sistema de compra-e-venda, é uma janela que mostra claramente a situação da economia, no caso, da de Ribeirão Preto. Se não de toda economia, pelo menos de parte expressiva dela. 

Neste ano de 2019, tivemos o ponto mais baixo na quantidade de imóveis transacionados e registrados nos cartórios competentes. O ponto mais alto foi exatamente em 2018, quando o foco é o período de janeiro a setembro.  

Já no que toca ao valor monetário das transações, 2014 foi o auge do desenvolvimento vindo a seguir 2013 e 2012, ficando o corrente exercício de 2019 na quarta posição. Nem por isso pode-se dizer que o mercado imobiliário está se recuperando da crise. A expansão tem sido muito modesta, como se pode ver detendo-se na análise dos números que formam o quadro mencionado.  

Investir em imóveis, não apenas para uso próprio mas para locar e receber uma remuneração periodicamente, sempre foi um caminho seguido e indicado pela cultura latina. Entretanto, o aumento da criminalidade tem contraindicado a aplicação em imóveis por recebimento da remuneração devida sob a forma de locativo, porque delinquentes acabam levando, normalmente quando o imóvel está vazio, fiação, portas e até outras peças da construção. 

Os números mostram também uma crise econômica mas a delinquência, crescente, é responsável em grande parte pelo agravamento da crise e até pela dificuldade dos agentes econômicos atuarem no sentido de redução no tamanho desta crise.

Mais do ACidade ON