Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

docon

Ser conservador é arriscado na hora de investir para aposentar

A aversão ao risco durante período economicamente ativo, pode prejudicar a qualidade de vida durante a aposentadoria

| ACidadeON/Ribeirao


Eliseu Hernandez D'Oliveira, assessor de investimento da Blue Trade (Foto: Weber Sian / ACidade ON
Apenas 20% dos brasileiros estão se planejando de uma ou mais formas para a velhice. Desses 20%, a aversão ao risco durante período economicamente ativo, pode prejudicar a qualidade de vida durante a aposentadoria. Embora seja compreensível uma abordagem conservadora para o momento em que se para de trabalhar, ela precisa ser equilibrada com a necessidade de gerar retorno suficiente para sustentar uma aposentadoria confortável.

GRÁFICO VIDA FINANCEIRA:


O gráfico mostra as possíveis situações em que podemos nos encontrar ao pararmos de trabalhar (momento de usufruir). Ter o suficiente para usufruir e ainda distribuir, ter o suficiente apenas para usufruir ou não ter o suficiente, depender dos filhos, do governo e ter que voltar a trabalhar.

80% dos brasileiros se encontram na linha mais baixa. Não se planejam e ao se aposentarem percebem que os recursos acumulados, quando acumulados, se esvaziam rapidamente. A maioria das pessoas subestima o custo de vida na aposentadoria e ficam sujeitos a riscos imprevisíveis que podem ocorrer (emergência médica, por exemplo).

Outra parte está na linha do meio. Até conseguem juntar o bastante para usufruir, mas não há recursos suficientes para distribuir aos herdeiros. Além de que qualquer emergência não prevista pode jogá-los para linha de baixo. É uma situação um pouco mais confortável que a anterior, mas ainda assim arriscada. É bem provável que haja uma redução no padrão de vida. 

 
MAIS 
Quanto dinheiro devo economizar a cada mês?

 

Uma minoria consegue atingir a linha de cima, na qual viver dos juros dos investimentos e ainda deixar patrimônio para os filhos é uma realidade. Não é fácil atingir essa linha. Exige disciplina na hora de poupar e uma boa alocação na hora de investir. Porém, é uma situação extremamente confortável quando alcançada.

Assumir mais risco nos anos de trabalho pode ser uma abordagem de menor risco em geral, principalmente em cenário de juros baixo. À medida que as pessoas vivem mais, uma alocação mais alta em ativos de risco, mas que trazem crescimento do patrimônio, como ações, pode ser necessária para gerar retornos suficientes para garantir que seu portfólio possa ir longe ao se aposentar.

É uma história diferente uma vez na aposentadoria. Os aposentados estão naturalmente preocupados com a volatilidade do patrimônio. As estratégias de aposentadoria devem ser focadas na 'minimização de risco' para oferecer um objetivo ou retorno específico. Existem várias opções para mitigar o risco durante a aposentadoria. E uma abordagem conservadora de investimento durante a aposentadoria não significa caderneta de poupança, mas sim uma estratégia adequada ao momento da vida.

Ser conservador demais é arriscado. A caderneta de poupança perdeu para inflação em 2019, deve perder em 2020 e possivelmente continuará perdendo anos a frente. Não porque a inflação esteja alta como antigamente, mas pelo fato da caderneta de poupança não ser um bom investimento. Manter seus recursos mal investidos é ter a certeza que você estará na linha inferior. 

 
*Eliseu Hernandez D'Oliveira é assessor de investimento da Blue Trade, formado em economia pelo Instituto Insper e mestre em economia pela Universidade de Brasília

Mais do ACidade ON