Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

docon

Corrida pela Prefeitura de Ribeirão: Veja os possíveis candidatos

Os perfis dos interessados em concorrer são variados. Têm ex-promotor, professora da USP, ex-juiz, PM reformado e ex-vereador.

| ACidadeON/Ribeirao

 

Nomes que são discutidos para disputa eleitoral 2020 (Arte: ACidade ON)
A pouco mais de um ano para as eleições municipais de 2020, alguns nomes já começam a ser ventilados para a disputa da Prefeitura de Ribeirão Preto.  

Entre os interessados, estão desde figuras conhecidas, como João Gandini (PSD) e Ricardo Silva (PSB), marinheiros de primeira viagem, como o da ex-secretária da Cultura Dulce Neves (Podemos) e nomes que buscam receber a benção do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), como é o caso do engenheiro Rodrigo Junqueira (PSL)  e do coronel da reserva da Polícia Militar (PM) Luís Henrique Usai (Avante).  

Embora não fale sobre o assunto oficialmente, o atual prefeito Duarte Nogueira (PSDB) deve tentar a reeleição. Quando perguntado sobre o assunto, Nogueira diz que é cedo para falar. Nos bastidores, porém, há relatos de negociação pelo nome do vice, já que o atual, Carlos Cezar Barbosa (CD), está rompido com o prefeito. Nomes como o dos vereadores Rodrigo Simões (PDT) e Igor Oliveira (MDB) são cogitados. 

Já Carlos Cezar descartou uma eventual candidatura na disputa para prefeito. Promotor licenciado, ele estuda retornar ao Ministério Público em 2021.

Vale ressaltar que quem for disputar a eleição 2020, tem até o dia 3 de abril de 2020 para escolher o partido. Já as convenções partidárias para oficializar os nomes ocorrem entre 20 de julho e 5 de agosto, conforme prevê a lei da Reforma Política, promulgada em 2015. 


LEIA MAIS
Políticos de Ribeirão articulam grupo de oposição a Nogueira


CONFIRA OS POSSÍVEIS CANDIDATOS: 

Annie Schmaltz Hsiou (PSOL)
 

Annie Schmaltz - PSOL (Imagem: reprodução EPTV)
O PSOL ainda não definiu um nome para a disputa eleitoral de 2020. O partido espera definir o candidato após discutir o tema e o programa que será defendido pelo partido no pleito. Contudo, o nome da professora da USP (Universidade de São Paulo) Annie Schmaltz, de 38 anos, é um dos cotados.  

Annie trata a candidatura com uma possibilidade. Ela, no entanto, prefere aguardar a manifestação de correligionários e acredita que o nome de uma mulher deve ser bem quisto pelo partido. "Estamos levantando algumas possibilidades representativas. Estudamos a possibilidade de ter mulheres na majoritária, que dialogasse com os movimentos mais contemporâneos, mais atuais", afirma a professora universitária. 


Antônio Alberto Machado (PT)
 
Antônio Alberto Machado - PT (Foto F.L. Piton/Arquivo A Cidade)

O promotor de Justiça aposentado Antônio Alberto Machado, de 60 anos, é um dos três nomes que o PT discute internamente para o pleito municipal de 2020 em Ribeirão Preto. Além dele, o médico Ulisses Matos e o professor Fábio Sardinha também são discutidos. O partido deve realizar prévias para uma definição.  

Antônio Alberto tem sido requisitado pelos companheiros de partido, embora ele afirme que a candidatura não seja o principal desejo no momento. "Não é o meu projeto pessoal, mas eu sou filiado ao PT e eles acham que, neste momento, seria razoável que eu servisse ao partido", declara. "Sei que eles acham o meu nome viável porque fui um promotor com muita interlocução com movimentos sociais. Também concordo com eles [PT], que de fato eu talvez pudesse colaborar com o partido", comenta. 


Duarte Nogueira (PSDB)  
Duarte Nogueira - PSDB (Foto: Mastrangelo Reino/Arquivo A Cidade)
O atual prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, de 55 anos, ainda tem evitado falar sobre reeleição. "Eleição é em 2020. Agora é hora de manter o ritmo de trabalho e realizar os compromissos assumidos na eleição de 2016", declara o prefeito. No entanto, o meio político enxerga que o destaque dado às obras de mobilidade urbana tem colocado o governo em evidência e vai ajudar na eleição 2020.  

Nos bastidores, já há conversas para possíveis coligações partidárias que, inclusive, poderiam apresentar o nome do vice na chapa que poderá concorrer à reeleição. Nogueira foi eleito em 2016 após derrotar Ricardo Silva no segundo turno com 100,4 mil votos, ante 70,2 mil votos do adversário, então no PDT, hoje no PSB. 


Dulce Neves (Podemos)  
Dulce Neves - Podemos (Foto: F.L. Piton/Arquivo A Cidade)
A ex-secretária da Cultura de Ribeirão Preto (na gestão da ex-prefeita Dárcy Vera) e ex-modelo, Dulce Neves, de 49 anos, que foi capa da revista Playboy nos anos 1990, tem o nome cotado para concorrer ao cargo de prefeita. Atual presidente da Fundação do Livro e Leitura, Dulce é vice-presidente municipal do Podemos e foi selecionada para participar do curso Renova BR.  

Ela afirma que a legenda está se organizando e que é provável que lance um nome para a disputa eleitoral. No entanto, isso só será definido em reunião prevista para acontecer no próximo dia 9 de outubro. "Estarei preparada para o que meu partido decidir", afirma Dulce, que acredita que muita coisa pode acontecer até as eleições. "Estou na maior escola de políticos do Brasil, entrar foi muito difícil, uma dura seleção. De qualquer forma, quero dar a minha contribuição para o meu partido e para a minha cidade", conclui. 


Fernando Chiarelli (Patriota)
 
Fernando Chiarelli - Patriota (Foto: Weber Sian/Arquivo A Cidade)
Aos 62 anos de idade, o professor Fernando Chiarelli, ex-deputado federal e ex-vereador, se prepara para mais uma disputa pela Prefeitura de Ribeirão Preto.  

Em 2016, Chiarelli era pré-candidato, mas foi preso dois meses antes das eleições municipais. O político foi condenado por crime eleitoral após a Justiça entender que ele havia praticado ofensas contra a ex-prefeita Dárcy Vera no pleito de 2012.  

Agora, Chiarelli afirma que vencerá no primeiro turno. "Primeiro turno. Não tenho nenhum adversário. Tenho a Lava Jato e tenho a Sevandija. E tem um homem de bem. Acredito que dessa vez não tem chance, não", afirmou Chiarelli. 


João Gandini (PSD)
 
João Gandini - PSD (Foto: Weber Sian/Arquivo A Cidade)
O juiz aposentado João Gandini (PSD), de 63 anos, espera concorrer pela terceira vez seguida ao cargo de chefe do executivo ribeirão-pretano. Nas duas vezes anteriores, ele foi o terceiro colocado. Em 2012, quando era filiado ao PT, Gandini recebeu 45 mil votos. Quatro anos depois, no PSB, recebeu 36 mil votos. Agora, o juiz aposentado está mudando para o PSD, partido da ex-prefeita Dárcy Vera, após passagem pelo PHS.  

"Em princípio, eu sou pré-candidato. Estamos fazendo um grupo de oposição. Esse grupo está bem articulado e caminhando. Cada dia mais adesões. A tendência é a gente se fortalecer", declara Gandini, que afirma que também está trabalhando para formação de uma chapa de candidatos a vereador. 


Lincoln Fernandes (PDT)
 
Lincoln Fernandes - PDT (Foto: Allan S. Ribeiro/Câmara Ribeirão)
Já o PDT pode lançar o vereador Lincoln Fernandes. Atual presidente da Câmara, Lincoln Fernandes, que tem o suporte da maior bancada do Legislativo de Ribeirão (6 parlamentares), já manifestou o interesse  em concorrer a prefeito. A informação foi dada pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi, em entrevista ao ACidade ON, no último mês de julho.   

"Embora eu ache muito cedo, o presidente do PDT nacional veio aqui e sugeriu isso. É do interesse do PDT ter candidato próprio nas principais cidades do estado e do Brasil. Eu acho que é muito cedo, mas eu não descarto não. Estou pronto para a cidade", afirmou o presidente da Mesa. O parlamentar, inclusive, estaria costurando alianças para a disputa.

Leia mais:
Presidente nacional do PDT quer Lincoln candidato a prefeito
 


Luís Henrique Usai (Avante)  
Luís Henrique Usai - Avante (Foto: arquivo pessoal)
Outro que já dá a pré-candidatura como certa é o coronel da reserva da PM Luís Henrique Usai, que tem 55 anos. Usai já concorreu anteriormente na disputa a deputado estadual, mas não foi eleito. Filiado ao Avante, partido que já articula a montagem da chapa para as eleições.

"Nós estamos com o projeto para 2020. Por enquanto, a pretensão é de ser pré-candidato. Tenho interesse. Nós estamos discutindo vários assuntos", afirma o coronel da reserva, que deve se reunir com a direção do partido para discutir a formatação de propostas junto aos pretendentes a se candidatar uma vaga para vereador. 


Ricardo Silva (PSB)
 
Ricardo Silva - PSB (Foto: Milena Áurea/Arquivo A Cidade)

Dono de 70 mil votos nas eleições municipais de 2016, Ricardo Silva, aos 34 anos, é cotado para estar na disputa outra vez. Ex-vereador, Ricardo diz oficialmente que pretende disputar a eleição de 2020, mas não sabe se vai concorrer para prefeito ou vereador. No comando do PSB na região, ele afirma que já está trabalhando na montagem da chapa para as eleições proporcionais.   

"Eu ainda não tenho uma definição, nem minha, nem partidária sobre quais destinos eu vou tomar, ou o meu pai também (deputado estadual Rafael Silva). Isso depende da gente conversar com o partido, com o Márcio França, que é o presidente do partido", declara Ricardo. O ex-vereador disse que já recebeu o contato de outros partidos após realização de pesquisas de opinião, em que estaria bem contado, mas que ainda não as realizou para saber como anda a sua situação. 


Rodrigo Junqueira (PSL)
 
Rodrigo Junqueira, à direita da tela - PSL (Foto: arquivo pessoal)
Presidente do diretório municipal do PSL, partido do presidente da República Jair Bolsonaro, Rodrigo Junqueira, engenheiro mecânico de 42 anos, espera que eventuais reflexos positivos de medidas do Governo Federal possam alavancar a candidatura. "O cenário político nacional impacta as eleições municipais. Com certeza, mas eu vejo com muitos bons olhos as ações que estão sendo tomadas pelo Governo Federal", afirma com esperança.  

Em março, ao ACidade ON, o senador Major Olímpio, um dos principais nomes do PSL no país, afirmou que o objetivo do partido é conseguir pelo menos 100 prefeitos no Estado de São Paulo no próximo ano. O posto de candidato de Bolsonaro vai ser tão concorrido que Junqueira, mesmo com a pré-candidatura lançada, não descarta de aparecer outro nome na legenda, obrigando o partido a realizar prévias.  

Leia mais:
Major Olímpio rebate ex-membros do PSL em Ribeirão Preto  
 

Partido Novo  

O Partido Novo escolhe os candidatos de maneira distinta a de outros partidos. A legenda realiza um processo seletivo para indicar um candidato que siga todas diretrizes do partido. Até o momento, oito pessoas já se inscreveram para a seleção, contudo, o procedimento é sigiloso, e os nomes não podem ser divulgados sem a anuência dos concorrentes. De acordo com o líder do partido em Ribeirão Preto, Daniel Caetano, uma decisão sobre o nome deve ser tomada até o final do ano. As inscrições ainda estão abertas, e seguem até o dia 15 de outubro. O interessado tem de desembolsar a quantia de R$ 2 mil, segundo o edital de avaliação de postulantes a prefeito. 

 
Definindo o partido  
Orlando Pesoti - PDT, contudo, o vereador ainda está definindo o partido (Foto: Allan S. Ribeiro/Câmara Ribeirão)
Outro nome que pode pintar na disputa é o do vereador Orlando Pesoti, que hoje está no PDT, porém estuda migrar de partido na janela partidária. O parlamentar conta que já recebeu propostas e se coloca como um nome alternativo caso Ricardo Silva não lance candidatura pelo PSB, partido que já fez convite a Pesoti.

"Acredito que nos próximos dias possa se costurar alguma coisa", afirma o vereador, que acredita que possa representar uma novidade em meio de nomes já conhecidos em disputas pela prefeitura.  
 
Novas regras para as eleições  
 
Na última quinta-feira (19), a Câmara dos Deputados aprovou as novas regras previstas na minirreforma eleitoral visando as eleições de 2020. Os deputados não tomaram uma definição sobre o Fundo Eleitoral que é dividido entre os partidos, porém, propostas aprovadas levantam polêmica.   

Veja abaixo:  

Novas regras após minirreforma eleitoral (Arte: ACidade ON)




Mais do ACidade ON